Opinião de colaborador/debatedor

Não assisti ao jogo/fiasco -felizmente. Por isso, recorro ao botequeiro Alexandre Sanz, que enviou o seguinte comentário. 
 
Entregada
 
O jogo de ontem deve ser analisado sob o seguinte prisma, foi entregue, mesmo com todos os erros, limitações e dificuldades que o adversário poderia impor, conforme será relatado na sequência, o Grêmio, se não entrasse no segundo tempo de salto alto, teria vencido, no mínimo não perderia, de qualquer forma, essa derrota escancarou os muitos problemas que possuímos durante toda a temporada, os quais vou elencá-los de acordo com minhas observações.
1. Limitação do time e elenco: O Grêmio possui jogadores insuficientes nas duas laterais, na armação e em uma das posições do ataque, no banco temos mais problemas de limitação também, no jogo de ontem nossos laterais foram muito mal, o Marcelo e o Galhardo conseguem ser médios, no máximo, se jogarem no limite e sempre focados, quando pensam que são craques ai a cobra fuma, os gols foram todos na suas costas. Já o Douglas é um jogador que consegue apenas jogar 20 minutos, no segundo tempo estava mortinho, não viu a cor da bola e sua falta de combatividade estourou lá atrás.
2. O sistema de jogo tem que ser com atacantes de movimentação, o Bobô fez o que um centroavante deve fazer, gol, mas só isso é pouco no futebol moderno, ficou claro que ele é um peso ao time, principalmente quando o Douglas cansa e o Luan, fora de posição, vai mal, o time foi muito bem no primeiro tempo, apesar disso, na verdade enquanto o Douglas teve pernas, isso havia acontecido contra o Santos, só que a diferença foi o nível de concentração que se manteve nos 90 minutos.
3. O Roger erra, durante o jogo, parece que ele não tem boa leitura, talvez por inexperiência, não quero parecer eu o entendido, o Roger pegou um time que certamente disputaria a parte de baixo da tabela e está virtualmente classificado para a LA2016, mas não dá para esconder o sol com a peneira, a Chape já havia mexido no goleiro, e depois colocou um armador no lugar de um volante, além de adiantar o time, o Roger tinha 3 substituições para fazer, sou contra 3 volantes, mas em situações de jogo deve-se optar por essa escalação, ele deveria ter sacado o Douglas, morto, e colocar o Moisés, adiantar o Maicon e depois tirar o Luan, ai poderia escolher entre o Maxi ou Pedro Rocha para contra-ataques, ao contrário, ele tirou o Bobô e colocou o Pedro Rocha, apesar de o Luan ter sido uma piada em todo o primeiro tempo, depois tirou o Luan e colocou o Mamute, entendi que ele tentou jogar as costas do Apodi, mas para isso ele tinha que ter o poder de retomada da bola, o que não aconteceu, bem o Braian não vou perder tempo de comentar, mas o absurdo é ter um jogador que consegue jogar 20 minutos e deixá-lo em campo por 90. 
Acho que o Roger, e nessa hora o Presidente deve entrar em campo, deve repensar alguns conceitos, bruxismo e interferências externas estão atrapalhando, deve ser dadas as devidas proporções, obviamente é importante ter o vestiário na mão, mas isso não pode atrapalhar o desempenho do time, não queremos ser campeões de vestiário unido, já ouvir opinião de outras pesoa é importante mas isso apenas como idéias não precisam ser seguidas e sim utilizadas em situações aplicadas durante o jogo e não como idéia principal e definitiva, ele encontrou a melhor forma de jogar e mudou, coincidentemente quando o time passou a oscilar.

Se gostou, compartilhe!