Opinião de colaborador/debatedor

Não assisti ao jogo/fiasco -felizmente. Por isso, recorro ao botequeiro Alexandre Sanz, que enviou o seguinte comentário. 
 
Entregada
 
O jogo de ontem deve ser analisado sob o seguinte prisma, foi entregue, mesmo com todos os erros, limitações e dificuldades que o adversário poderia impor, conforme será relatado na sequência, o Grêmio, se não entrasse no segundo tempo de salto alto, teria vencido, no mínimo não perderia, de qualquer forma, essa derrota escancarou os muitos problemas que possuímos durante toda a temporada, os quais vou elencá-los de acordo com minhas observações.
1. Limitação do time e elenco: O Grêmio possui jogadores insuficientes nas duas laterais, na armação e em uma das posições do ataque, no banco temos mais problemas de limitação também, no jogo de ontem nossos laterais foram muito mal, o Marcelo e o Galhardo conseguem ser médios, no máximo, se jogarem no limite e sempre focados, quando pensam que são craques ai a cobra fuma, os gols foram todos na suas costas. Já o Douglas é um jogador que consegue apenas jogar 20 minutos, no segundo tempo estava mortinho, não viu a cor da bola e sua falta de combatividade estourou lá atrás.
2. O sistema de jogo tem que ser com atacantes de movimentação, o Bobô fez o que um centroavante deve fazer, gol, mas só isso é pouco no futebol moderno, ficou claro que ele é um peso ao time, principalmente quando o Douglas cansa e o Luan, fora de posição, vai mal, o time foi muito bem no primeiro tempo, apesar disso, na verdade enquanto o Douglas teve pernas, isso havia acontecido contra o Santos, só que a diferença foi o nível de concentração que se manteve nos 90 minutos.
3. O Roger erra, durante o jogo, parece que ele não tem boa leitura, talvez por inexperiência, não quero parecer eu o entendido, o Roger pegou um time que certamente disputaria a parte de baixo da tabela e está virtualmente classificado para a LA2016, mas não dá para esconder o sol com a peneira, a Chape já havia mexido no goleiro, e depois colocou um armador no lugar de um volante, além de adiantar o time, o Roger tinha 3 substituições para fazer, sou contra 3 volantes, mas em situações de jogo deve-se optar por essa escalação, ele deveria ter sacado o Douglas, morto, e colocar o Moisés, adiantar o Maicon e depois tirar o Luan, ai poderia escolher entre o Maxi ou Pedro Rocha para contra-ataques, ao contrário, ele tirou o Bobô e colocou o Pedro Rocha, apesar de o Luan ter sido uma piada em todo o primeiro tempo, depois tirou o Luan e colocou o Mamute, entendi que ele tentou jogar as costas do Apodi, mas para isso ele tinha que ter o poder de retomada da bola, o que não aconteceu, bem o Braian não vou perder tempo de comentar, mas o absurdo é ter um jogador que consegue jogar 20 minutos e deixá-lo em campo por 90. 
Acho que o Roger, e nessa hora o Presidente deve entrar em campo, deve repensar alguns conceitos, bruxismo e interferências externas estão atrapalhando, deve ser dadas as devidas proporções, obviamente é importante ter o vestiário na mão, mas isso não pode atrapalhar o desempenho do time, não queremos ser campeões de vestiário unido, já ouvir opinião de outras pesoa é importante mas isso apenas como idéias não precisam ser seguidas e sim utilizadas em situações aplicadas durante o jogo e não como idéia principal e definitiva, ele encontrou a melhor forma de jogar e mudou, coincidentemente quando o time passou a oscilar.

Se gostou, compartilhe!

  • Bruno Adler

    Ontem o Erazo foi tão ridiculo que eu senti falta do Bressan. Que vá logo pra Portugal esse zagueiro medíocre.

    • TO DE OLHO

      Desculpe, mas o cara não é medíocre. Quando o Geromel esteve fora ele segurou as pontas e foi um dos melhores do time.
      Ontem teve uma jornada infeliz (se estiver com a cabeça no Estoril, tem que colocar na reserva e ir preparando um substituto). Nada que uma conversa não resolva.

  • Francisco Coelho

    Muito boa e realista a analise.

    Roger tem pecado na leitura do jogo e hoje não há muitos treinadores inexperientes nos adversários. Tem horas que a rodagem conta tanto
    quanto a montagem do banco.

    Eu venho escrevendo seguido das opções do Roger para reverter uma situação e não entendo suas escolhas. Todos sabem que não adianta colocar 4 atacantes sem ter quem efetue cruzamentos e bons passes. Ligação direta é quase sempre do adversário…

    Outro fator é que o elenco está sem gás nitidamente e só consegue manter um bom ritmo 45 minutos. Numa final com prorrogação teríamos sérios problemas com câimbra e exaustão.

    O que não aceito é que digam que não há opções na base para compor um banco mais equilibrado.

    Sem um bom desempenho do Giuliano, Douglas e Luan o Grêmio afunda.

    Claro que não há recursos para mudar 90% do elenco, mas com criatividade é possível formar um bom grupo como montei no anterior usando uma relação da ZH.

    Erazo depois das trapalhadas com assinatura e vontade de ir jogar na Europa pra mim deu. Não sei se um zagueiro mais experiente canhoto ou pela esquerda seria necessário sem uma avaliação do Thyere e do Denilson.

    Grassi não é solução e ontem falhou na saída e no terceiro poderia ter abafado mais. O Tiago por ser mais largo fecha melhor saindo e já salvou gols assim. Claro que um bom jogador pode botar por cima, mas em velocidade é difícil…

    As laterais são pontos negativos e vem sendo crônicos ao Grêmio. Yago Picachu e Bryan me parecem opções bem viáveis onde uma boa negociação com trocas e até algum valor pode agradar ambas as partes.

    Um segundo volante é necessário, pois os nossos não vem agradando nem sabemos se o Maicon fica. Hernani do Furacão me parece ser um bom reforço e um bom meia como o Gabriel Xavier é necessário.

    Um atacante driblador e finalizador como o Neilton tendo um matador como o Marcelo Toscano pode ser sinal de gols. Como são jogadores que não estão em evidencia exceção do Picachu não deve ser um grande investimento.

    O perigo é o RC e seus DVD’S.

    • Alexandre Sanz

      Francisco, tambem acho que temos soluçoes que podem dar certo na base, o problema, e que venho criticando a tempo, e que nao sao testados e quando vao bem, nao tem continuidade, casos de Lincoln, Maxi e Everton, a entrada do Braian ontem foi um disparate.

  • Gustavo Medeiros

    Está todo mundo de cabeça quente hoje, então vou devagar.

    Primeiro, Alexandre, parabéns pelo texto e pela análise, concordo quase que 100 % contigo.

    É muito legal participar do boteco com gente assim.

    Segundo, Ilgo é um sortudo. Não viu um jogo que é de enlouquecer qualquer um.

    Terceiro, o jogo de ontem é muito difícil de ser analisado, vamos ser sinceros. O Grêmio do primeiro tempo foi ágil, teve jogada ensaiada, teve 2 gols a favor e nosso goleiro não tocou na bola.

    Na verdade o Grassi não tocou na bola em nenhum momento do jogo, ou a bola foi para fora ou foi no poste ou entrou.

    O segundo tempo foi algo que deve ser analisado segundo por segundo. Todos os jogadores sentaram no resultado. Erazo lembrou o Erazo do Flamengo.

    Há tempos elas existem, mas ontem foi inaugurada oficialmente a autobahn Galhardo e a Auto-estrada Oliveira.

    Maicon e Wallace mais correram tentando fechar as auto-estradas, do que outra coisa.

    Dali para frente não existiu, isso mesmo, não fizeram nada Luan, Douglas, Bobo e Giuliano.

    Quando entrou o goleiro reserva, fora de ritmo, era para chutar tudo ao gol, massacrar, mas não, paramos de jogar.

    Olha, sinceramente, foi vergonhoso assistir o Grêmio do segundo tempo.

    E pela primeira vez, vi o Roger perdido sem saber direito o que fazer, e na própria entrevista pós jogo, ele não sabia dizer porque perdemos.

    Isso preocupa.

    Deixo uma pergunta.

    Que vamos fazer na LA2015?

    • Alexandre Sanz

      O Erazo, foi muito mal ontem, tem que ver se esta com a cabeça na Europa, ja tem que providenciar outro pro lugar dele.
      Confio que o Roger vai saber analisar o time e seus proprios erros.
      Lembro quando o Tite veio pro Gremio em 2000 eu acho, perdemos um jogo para o Coritiba (copa sul) e ele foi horrivel, depois parece que aprendeu com os erros e foi muito bem a partir dai.
      Agradeço o elogio, tambem me sinto honrado em discutir futebol neste forum.

    • Ilgo Wink

      Por enquanto, vamos participar e ganhar uma grande, além de provocar muita inveja em uns e outros. E só.

  • TO DE OLHO

    Não dá para fazer terra arrasada depois da jornada infeliz (no segundo tempo) não de ontem. Não esqueçam que foi essa Chapecoense que meteu 5 no coirmão !!!!
    .
    Nosso elenco tem deficiências e o Roger ainda vai amadurecer. Empilhar atacantes, dificilmente dá resultado se não se armam as jogadas para os dianteiros. Com a entrada do Bobô o Luan ficou fora da sua melhor posição (vejam como caiu o rendimento deste jogador).
    .
    Na minha opinião o que determinou a má jornada do segundo tempo foi um certo “já ganhou” e este time do GRÊMIO não joga sem estar com a corda esticada.

    • Alexandre Sanz

      Exato, foi como eu disse, mesmo mal, o maior problema foi o salto alto, sem duvidas, os laterais sao limitados, mas quando estao concentrados vao bem, no primeiro tempo foi assim, no segumdo soma a falra de qualidade com a acomodaçao de todo o time e xa no que deu, fora que o Douglas e menos um depois de 30 minutos.

  • Fabio Scheffer

    Roger tem que urgentemente rever alguns conceitos para não correr o risco de ver o seu excelente trabalho (que foi fazer um time de meio de tabela chegar a brigar pelo titulo) ser manchado por não conseguir alcançar a vaga na Libertadores de 2016 que esteve quase sempre a sua mão.

    A hora é de utilizar o time e o esquema que fizeram o Grêmio estar nessa posição e fazer as modificações necessárias mantendo um critério de merecimento no campo (como Everton e Maxi que veem entrando bem) e não de invencionices (como Mamute e do Braian que estavam sumidos até reaparecerem contra a Chapecoense).

    Do meio pra frente por exemplo tem de ser dois volantes (a escolher entre Walace, Maicon e Edinho) na marcação e um quadrado movediço na frente com Giuliano, Douglas, Everton (que já tá por merecer uma sequencia de chances) e Luan como “falso 9”.

    Querendo ou não esse tem sido o único esquema no momento que permite o Douglas jogar e o Luan acordar.

    Opções ofensivas de banco ???

    Maxi pro lugar do Douglas (ou para um dos lados puxando o Giuliano mais pro meio) e Bobô ou P.Rocha para o lugar do Luan (ou até mesmo do Douglas, recuando o Luan para a meia central).

    Fora isso é perder tempo e correr o risco de perder a vaga !!!

    • Alexandre Sanz

      Concordo Fabio, mas ele precisa saber substituir, ontem ele poderia trocar o Douglas pelo Moises, assim travava a tentativa do Guto em explorar nossas deficiencias na cobertura, o que abre espaços para os laterais que sao fracos e depois substituir quem estivesse mal na frente para os contra ataques, podia ser o Maxi, Everton ou Pedro Rocha, para sair podia escolher, Bobo ou Luan.

      • Fabio Scheffer

        Pois é Alexandre, ontem o Roger tinha que ter substituído logo no inicio do 2º tempo as peças que mal haviam funcionado no 1º e estavam apagados no 2º.
        O apego do Roger pelo Douglas por exemplo as vezes é absurdo.
        Ontem se o objetivo era segurar os laterais o ideal era tirar o Douglas e puxar o Giuliano pro meio (que não foi bem mas tem muito mais combatividade) mantendo o Walace e o Maicon mais a frente da zaga.
        No lugar do Douglas metia o Everton, que tem velocidade e chute, aberto na esquerda e o Apodi já teria alguem pra se preocupar na hora de apoiar.

    • Ilgo Wink

      Concordo. Mas desconfio que nem sempre um treinador decide apenas pelas questões técnicas e táticas na hora de substituir ou escalar alguém.

  • Eder

    Resumiu perfeitamente o jogo e as atuações, só esqueceu de citar as trapalhadas do equatoriano do Estoril. Enquanto isso, Bressan, que pertence ao clube e teve bela atuaçao contra o Santos, sobrou. Bressan pode nao ser o zagueiro dos sonhos, mas é patrimonio do clube.

    • Alexandre Sanz

      Concordo que o Erazo foi muito mal, parecia que estava com a cabeça na Europa, agora ele vinha jogando muito bem e o Bressan muito mal, embora contra o Santos se percebeu que ele evoluiu muito, realmente o Roger tem um sistema que faz com que o jogador consiga evoluir, antes o Bressan era só chutão, contra o santos ele foi muito bem saiu com passes, acho que se o Erazo estiver com a cabeça na europa, tem que botar já o Bressan de titular.

  • Andre Peixoto – Sarandi/RS

    Na minha humilde opinião, desde que o Erazo assinou pré contrato com outro time, teria que ser deixado de lado. Prá mim é mau caratice e/ou uma maneira de pressionar o Grêmio a pagar o que ele pede. Também acho que foi bem mas nada que se compare as atuações do Geromel. Acho que não vale o que tão pedindo. Então acho que o Roger tenha que pensar em 2016. O Thyere (sei eu como escreve) tem muito futuro. Esse Bressan eu sinto calafrios quando vejo jogar…

  • Eduardo D’Alascio

    Tenho a nítida impressão de que o Grêmio do Roger é um time que, quanto tem a posse da bola, joga bem, com triangulações, troca de passe com infiltração e aproximação. Sem a bola, marcamos com os olhos, ou seja, deixamos o adversário jogar. As laterais são desprotegidas, não só no jogo de domingo contra a Chape, mas no jogo fatídico contra o Fluminense. Reparem no gol do Fred a LIBERDADE ABOLUTA que o Marcos Junior teve para cruzar. Domingo, no primeiro gol da Chape, Erazo saiu para marcar Camilo, e teve que recuar para marcar Apodi (onde estavam os volantes ?) . Ok, não justifica o carrinho desastroso e irresponsável, mas…e no segundo gol, Galhardo foi driblado, onde estava a cobertura (de novo os volantes) ? No primeiro tempo, aonde o Grêmio jogou bem com a bola no pé, correu riscos sem a bola, levando inclusive uma bola no sua trave e em outros lances também (Galhardo salvou na linha, Dener teve liberdade para cruzar 3 ou 4 vezes, Cleber Santana teve a já referida LIBERDADE ABSOLUTA). Por fim, acredito que se Roger corrigir isso, finalmente teremos um time confiável. Saudações tricolores.

  • Borges

    Roger na média faz um bom trabalho, mas é o segundo jogo na arena que qualquer um percebe que o adversário tomou conta do jogo e fará gol a qualquer momento e o Roger permanece imóvel como um esfinge esperando acontecer. Contra o Sport foi a mesma coisa….
    Mas estou preocupado é com o ano que vem. Será que o Rui Costa vai continuar “planejando” o futebol do grêmio. O especialista em montar elencos deficitários vai ter a quinata oportunidade de pensar o futebol do clube? Se na quinta passagem ele não ganhar nada será o maior pé frio da história do clube, visto que Obino ficou no clube por quatro anos.

  • Fabiano

    Não entendo por que os treinadores gostam de se sabotar. Roger havia achado o time e esquema ideais no primeiro turno; pois foi só virar o turno que insistiu inicialmente com Fernandinho e agora com Bobô, mesmo com todos vendo que o rendimento do time não foi mais o mesmo. Ora, se Pedro Rocha caiu de rendimento, que faça o simples e coloque o Everton em seu lugar, mantendo o esquema, principalmente com a liberdade que o Luan tinha para jogar por todos os lados.
    Marcelo Oliveira há dois meses vem mostrando que não consegue mais jogar, não dá nenhuma colaboração ofensiva e deixa uma avenida na defesa, sendo facilmente driblado em todos os lances; não seria a vez de por o Hermes, que se não ataca ao menos fica mais fixo atrás e não deixa tanto espaço?
    Por outro lado, a diretoria é muito incompetente, pois mesmo sabendo que Marcelo Grohe passaria tempo na seleção, não teve a capacidade de contrtar um reserva decente.

  • Pedro de Lara

    O que era pra ser uma variante para o sufoco, virou plano A. Prefiro acreditar que as “forças ocultas” convenceram o Roger a voltar ao velho-e-surrado-esquema-do-centroavante-aipim-de-qualidade-indiscutivel. Sim, qualidade indiscutivel: o ruim.
    É a sina André Lima que se perpetua com o patrocinio do Gagálo.

    Isso sem falar no arquivamento definitivo de Fernandinho, Everton e, por quê não, (argh!) do Pedro Rocha, um jogador que só mostra alguma personalidade e algum futebol quando lhe dão amplo apoio, tempo em campo e sequencia de jogos.
    A temer que, por um azar astronomico percamos a vaga, a revolução seja arquivada e tenhamos que conviver com a idéia do retorno do RCarioca, do gringo-cansado-de-guerra,do treinador-trabalhador ou, o que pode ser pior, algum desses medalhões milionários que “sempre quiseram treinar o Gremio” mas que pouco ainda tem a contribuir com o futebol.

    Que Deus ilumine o Roger a corrigir rapidamente o rumo e não permitir que isso aconteça.

  • Arthur J

    Minha modesta opinião: nosso time é de pipoqueiros que treme quando é considerado favorito. O jogo contra o Flu foi a prova disso.

    Contra a Chape, mesma coisa: foi só sentir uma pressão do timeco de SC, que foi uma borração coletiva.

    Pra piorar, o Grêmio é tão incompetente que o jogador com mais ‘brio’ da equipe é justamente o pior centroavante da história do Clube: Braian “Cone” Rodriguez

  • Walter Luis Borba

    Ilgo e colegas de blog.

    Não dá para crer no Fiasco que o Grêmio fez!
    Futebol não é brincadeira.
    Acabou no futebol aquela máxima que time grande é superior ao pequeno.

    Quem imaginava que a Islândia e Albania um dia se classificaria para uma eurocopa?
    Quem imaginaria que a Seleção Brasileira atual perderia ao natural para um Seleção do Chile?

    Enfim, futebol acima de tudo tem que ter seriedade. E foco.

    A tempos falo que o problema não é técnico.

    Falta na direção de futebol alguém que entenda de FATO de futebol.
    Falta ainda jogadores com propósito de vencer.

    Romildo e Roger tem a chance de fazer isso.

    Contudo, incompetentes como o Sr. Rui Costa devem ser dispensados.

    E o principal: TEM QUE SER SEPULTADO DO PENSAMENTO DA GRANDE MAIORIA do gremistas, ideia de FUTEBOL OBSOLETA DOS ANOS 90.

    Anos 90 se foi. Acabou!

    Um ex., que muitos vão torcer a cara mas é verdade!

    O Internacional, somente se tornou Internacional a partir do momento que deixaram de lado os pensamento dos Dalegraves e dos Zachias….

    • Walter Luis Borba

      * Retificação de frase:

      Há tempos falo que o problema do Grêmio não é o Técnico de futebol…

  • Francisco Coelho

    Walter; o maior exemplo é o Japão. De zero em futebol virou exportador no masculino e feminino.

    Os treinadores da base também tem de se reciclar e ter um coordenador que entenda acompanhe e cobre resultados.

    O filho do Pepe caiu no Santos por não ter vitórias no sub 20 em 2015. Lá eles não querem ser só formadores e sim formadores e vencedores.

    Sem o DNA de vencedores os jogadores vão ser mais uns na fila. Tem de ter determinação e dedicação.

    A Coréia do Sul venceu a seleção brasileira sub 17 quando o normal seria levar uns 5 a 0. Não tem mais bobo no futebol mundial só no brasileiro da CBF e em apadrinhados nos clubes.

  • Ilgo Wink

    Muito bom o comentário do Alexandre, que se prontificou a colaborar. Botequeiros unidos jamais serão vencidos. Explicação: o tipo de letra saiu diferente porque colei o texto direto no site para agilizar, e fiz isso num note que só me irrita.

    • Gustavo Medeiros

      Uma dica caro amigo.

      Sempre que for colar algo, primeiro abra um arquivo no notepad, ou também chamado de bloco de notas, cole o texto lá. Copie esse texto do bloco de notas, e aí cole no editor de texto para publicar no blog.

      Expliquei direito?

      Ele quebra a formatação e fica direito no blog.

  • Gustavo Medeiros

    Eu abriria a mão da vaga da LA2016 por termos uma base para o próximo ano.

    Desde o início desse ano bati nessa tecla. Formarmos uma base para o próximo ano.

    Para alguém, parece que temos uma base?

    Sem goleiro reserva, sem um zagueiro titular e seu reserva. Sem laterais.

    Querendo renovar com o Douglas.

    Luan, a revelação do campeonato do primeiro turno, virou mero coadjuvante do time. Maicon querendo muito para renovar.

    Se eu fosse o presidente do Grêmio, iria para rodoviária de POA, balcão da Veppo, e pediria 4 passagens para Erechim e 4 para Pelotas. Só de ida. Embarcaria Vitinho, Fernandinho, Braian, Douglas, Marcelo Oliveira, Galhardo, Bobô e Schuster.

    Reforçaria o Ypiranga e o Brasil de Pelotas, na série C e B, fazendo um bem enorme para o futebol gaúcho.