Nem nos meus sonhos mais delirantes eu imaginei que o Grêmio conseguiria revelar tão cedo um atacante tão decisivo quanto Éverton, o Cebolinha, que acabou de perder o campeonato português com o Benfica do festejado Jorge Jesus. Nesta noite, na
Já dou como concretizada a contratação de Douglas Costa. Seria muito amadorismo da direção reunir-se quase que publicamente (aliás, qual será o dirigente que vazou a reunião para a imprensa? Será o mesmo que vcs estão pensando?) com o jogador
O Caxias tentou equilibrar o jogo na porrada. Luiz Fernando foi o primeiro a sentir a força de um pontapé e de um joelhaço pelas costas. Não adiantou, ninguém se intimidou. O Grêmio acabou impondo seu melhor futebol, vencendo o
Pois não é que o atacante sem pedigree começa a revelar seu verdadeiro potencial. O jogador ‘trazido pelo Renato’ para ‘ocupar o lugar dos guris da base’ deu uma resposta perfeita aos seus críticos, um pessoal que ainda acreditam que
O Grêmio trocou um treinador ‘preguiçoso’, ou pelo menos adepto da lei do menor esforço. por um treinador trabalhador. A frase é uma síntese do que foi publicado no site globo.com desta terça-feira. Deixando claro apenas que Renato não tem
Texto do Copião de Tudo: Na tarde ensolarada de 03/05/1981 nós calamos 95 mil São Paulinos dentro do Morumbi num dia memorável, conquistando nosso 1º Brasileirão, num torneio curto com 23 jogos que durou de 17/01 à 03/05, onde Nunes
Vou falar o que ninguém disse, costumava dizer Lauro Quadros – que faz uma falta danada ao jornalismo esportivo -, no Sala de Redação, gerando expectativa e chamando a atenção para si. Ele fazia uns segundos de silêncio e despejava
Reportagem do jornalista Eduardo Caspary: Técnico Muricy Ramalho fez rasgados elogios ao trabalho de Renato no Grêmio neste sábado. Enquanto curte férias no Rio de Janeiro com familiares e amigos, o técnico Renato Portaluppi foi alvo de rasgados elogios do
Além da vitória por 2 a 1 sobre seu velho conhecido, o Lanús, o melhor da noite em portenha foi a certeza de que Ferreirinha alcançou a maturidade. Com isso, ele se firma como sucessor de Éverton Cebolinha e Pepê
Se eu fosse treinador de futebol seguiria o exemplo do grande Ênio Andrade, que costumava dizer, em tom jocoso, que um percentual de sua remuneração – nem de longe semelhante ao que se paga hoje – era para aguentar os