Teló e Renato Portaluppi

O programa Esporte Espetacular, da Globo, fez mais pelo Grêmio em poucos minutos do que o marketing do clube em todo 2011.

Confiram o link:

http://globoesporte.globo.com/programas/esporte-espetacular/noticia/2012/01/gremista-michel-telo-recebe-camisa-autografada-do-idolo-renato-gaucho.html

Eu sei da angústia do torcedor por títulos expressivos, porque cansa essa história de só secar o Inter e festejar suas derrotas, como a contra o Mazembe.

Sei que alguns estão tão obcecados por um título nacional que consideram tudo o mais irrelevante.

Mas é possível querer de novo uma Copa do Brasil e ainda trabalhar a imagem do clube.

Michel Teló é, no momento, talvez o maior fenômeno da música mundial. Sua música é cantada em todos os cantos do planeta. Hoje, no Esporte Espetacular, vi jogadores da Alemanha, da Inglaterra e sei lá mais de onde dançando ‘Ai se eu te pego’ após um gol.

A música já foi traduzida até para o grego.

No meu tempo de Lajeado, de saí na década de 70, a gente dizia para quem via o cavalo passar encilhado e não se mexia:

– Tá mosqueando.

Pois o marketing do Grêmio tá mosqueando. Ou chupando bala, como queiram.

Se não aproveitar esse fenômeno musical para divulgar o clube, com possibilidade de conquistar novos torcedores em todo o planeta, principalmente gente jovem e crianças, é passar um atestado de incompetência absoluta.

Já sugeri que o Grêmio promova um show de Michel Teló no Olímpico ou na Arena. Se houver condições, melhor seria na Arena, porque aí já divulgaria a nova casa projetando inclusive a Copa de 2014. Os operários da obra deveriam ser os convidados especiais.

Aquele marketing de ‘extrema criatividade’ que é entregar uma camisa para um astro ou estrela não vale. Até porque a TV Globo já fiz isso, entregando ao Teló uma camisa autografada pelo Renato Portaluppi, ídolo do cantor, que revelou ser de uma família numerosa, todos gremistas.

FUTEBOL

Douglas Grolli deve começar como titular na zaga do Grêmio. O jovem catarinense, de Chapecó, arrebentou nos treinos. Quem sabe não está aí o zagueiraço que todos queremos?

Se é pra trazer mais jogador meia-boca, melhor apostar em gente nova, de preferência vinda da base.

Se gostou, compartilhe!