Cai o nível de tolerância dos torcedores

Este é um momento raro. Gremistas e colorados estão desconfiados e insatisfeitos com suas equipes. O nível de tolerância baixou muito desde o começo do ano.

Os resultados e as atuações de Grêmio e Inter são preocupantes. Na vitória por 2 a 0 contra o Emelec, parte da torcida vaiou o time em algumas jogadas erradas. Poupou o técnico Falcão.

O presidente Luigi criticou esse comportamento. O vice de futebol elogiou a torcida. Vá entender.

Eu não vi o primeiro tempo do jogo no Beira-Rio. Soube que foi terrível. A torcida, com razão, demonstrou sua irritação. Afinal, a direção colorada vendeu a esperança de que com Falcão tudo seria diferente.

O time continua jogando o mesmo futebol de antes, apesar de alguns comentaristas, na ânsia de elogiar Falcão, vejam algo de novo, de inovador, etc.

Os que hoje elogiam mudanças táticas, posicionamentos diferentes, são os mesmos que vão dizer, em caso de derrota para o Juventude, por exemplo, que o técnico Falcão não tem culpa porque recém assumiu. “O time ainda não assimilou o estilo do Falcão”, vão repetir quase que em coro. O fato é que qualquer análise séria neste momento é prematura.

Falcão praticamente não tem responsabilidade sobre o futebol que o Inter jogou no final de semana e nesta terça-feira.

O fato é que o Inter, assim como o Grêmio, está decepcionando neste começo de temporada.

A diferença é que o Inter ganhou um goleador, Leandro Damião, enquanto o Grêmio perdeu o seu, Jonas.

Por isso é que a campanha colorada na Libertadores nesta fase foi superior. Simples. O Inter tem um goleador. No mais, os dois times se merecem e se não jogarem mais, vão cair muito antes da fase final.

SAIDEIRA

O primeiro gol colorado foi em impedimento. As pessoas falam pouco sobre isso. Houve um registro rápido na hora. Sobis estava impedido quando fez 1 a 0. O Ernani Campello, da Guaíba, constatou isso meio que constrangido.  Não ouvi os outros comentaristas. O gol deu tranquilidade ao time e acalmou a torcida.

Se gostou, compartilhe!