Esperança gremista é o famoso pé-frio barbudo

O presidente da República declarou há pouco, no Beira-Rio, que é colorado.

Notório pé-frio ao menos na área esportiva, em especial no futebol, o sr. Lula sem querer devolveu a esperança à torcida gremista, que vê nessa afirmação e no ato em si à beira do Guaíba um sinal de que o bi colorado na Libertadores passou a ficar ameaçado. Na pior das hipóteses, não será tão fácil quanto parece.

A meu ver, a energia negativa emanada pelo estadista do ‘nunca antes’ já se fez sentir ontem, na vitória minguada por 1 a 0.

Eu havia previsto que seria 3 a 0. Errei, mas o resultado mais justo pelo que se viu no jogo seria mesmo o 3 a 0. O Inter foi imensamente melhor que o SP, que praticamente não ameaçou o goleiro Renan.

Aqui um aparte que faço a mim mesmo: foi uma temeridade colocar o Renan, que falhou contra o Flamengo por estar sem ritmo. Para sorte dele, Renan, e dos doutos que sacaram Abondanzieri, o SP não atacou.

O Inter mereceu uma vantagem maior.

A estratégia do SP até que foi a mais adequada: jogar para não sofrer gol e, se der, achar um golzinho. Foi acima de tudo um reconhecimento da superioridade técnica e física do adversário.

Agora, se o técnico Ricardo Gomes fosse um pouco mais audacioso, talvez até sofresse um gol a mais, mas com certeza teria boas chances de fazer o gol fora de casa.

Fernandão, temor do colorados e esperança dos gremistas, foi um fracasso. Por que não colocar Ricardo Oliveira em seu lugar? Por que não colocar Fernandinho muito mais cedo, não quando faltavam seis minutos para terminar? Por que limitar Hernanes à marcação? Na única vez que entrou na área colorada, no final, Hernanes quase fez o gol.

Ricardo Gomes acertou no atacado com a sua estratégia de respeito ao rival, mas falhou no varejo, nos detalhes, na correção de rumo.

No Morumbi, o SP será mais agressivo, muito mais. Mas dará espaço para os contra-ataques, um trunfo do Inter.

Se o pé-frio do presidente não influenciar, o Inter elimina o SP e vai para a final da Libertadores, com a faca e o queijo para ser campeão.

SAIDEIRA

Eu imaginava que a atual direção gremista errava apenas no futebol. Esse ‘apenas’ não cabe, porque o futebol é quase tudo num clube de futebol. Mas vejo agora que a administração toda vai de mal a pior. A direção admitiu antecipação de receita de TV de 2011 na ordem de R$ 10 milhões, e uma folha de pagamento total na faixa dos R$ 4 milhões (no futebol, 3,2 milhões oficialmente).

Então, meus amigos, a coisa está mais feia do que parecia.

Só nos resta cantar ‘tornei-me um ébrio, na bebida busco esquecer…’

Se gostou, compartilhe!