Um espinho encravado

Alguém sabe tirar espinho da ponta do dedo?

(Explico: nas minhas andanças pela colônia no oeste catarinense, em Saudades, fui pegar bergamota no pé. Pouca prática, enfiei o dedo num galho e sai com o espinho encravado no dedo indicador da mão direita, o que dificulta o teclar.)

Desde domingo faço essa pergunta aos meus conhecidos. Pesquisei até no google.

A resposta: só extraindo.

Alguém sugeriu que colocasse o dedo numa xícara com água quente e sabão comum. Para fugir da tortura, fiquei uma hora com o dedo mergulhado na fórmula salvadora.

Não adiantou. O dedo murchou, mas o espinho continua lá, sem nenhuma pontinha de fora. Tentei simpatias, benzedura e tudo mais. Rezei pra todos os santos.

Ontem à noite, pedi pra minha mulher extrair o espinho. Foi só ela encostar a agulha pra eu quase urrar de dor (confesso, sou um covarde, um cagão).

O espinho continua ali. A ponta do dedo inchada. Vou esperar que forme um abcesso, que aí sai ao natural.

Quer dizer, a região no entorno do espinho precisa apodrecer. Até lá vou conviver com a dor.

É assim que os gremistas se sentem em relação ao Grêmio.

Tem um espinho encravado no vestiário. Pior, tem dois.

Dói, incomoda, angustia, apavora, e pode causar sequelas.

O presidente Duda Kroef é como eu: espera que a situação se resolva sem a dor maior, que seria fazer a extração do corpo estranho. Ele prefere conviver com a dor, à espera de uma solução milagrosa, como eu com o meu espinho.

Duda não pode esperar que apodreça.

Ele precisa agir rápido, mesmo que doa. Precisa cortar a carne para salvar o dedo, a mão e o corpo todo.

Ah, já se sabe, mergulhar os dois na água quente com sabão no resolve.

E não adianta tirar apenas um espinho. O outro vai continuar incomodando.

O problema é que Duda parece ser como eu: um medrosinho…

SAIDEIRA

Tenho programa para esta noite: vou alugar um filme. Acho que o Massacre da Serra Elética cai bem hoje.

Vou começar na hora do jogo entre Inter e São Paulo (antes irei ao Cadeira Cativa, da Ulbra).

O jogo no Beira-Rio vou acompanhar pelos foguetes. Vou ouvir três foguetórios. Vai dar 3 a 0.

Não gosto de jogo fácil, pedra cantada.

Se gostou, compartilhe!