Vizeu e Paulo Victor destaques na vitória sobre o Juventude

Deu a lógica. O Grêmio bateu o Juventude, 3 a 0, e confirmou sua presença nas quartas de final da Copa do Brasil. O Grêmio foi superior, mas teve dificuldade para superar o bloqueio caxiense.

Pelo que se viu, ficou claro que o time terá de jogar mais se quiser ir longe na CB. O time mais uma vez dependeu muito do goleiro Paulo Victor, que já havia feito defesas importantes no Alfredo Jaconi, e que nesta quarta, na Arena, fez duas sensacionais, uma delas num cabeceio à queima-roupa, que lembrou aquele lance fantástico de Marcelo Grohe na Libertadores.

O time sentiu a ausência de Éverton. Calma, eu sei que ele estava em campo, mas esteve distante do Éverton a que estamos acostumados. Isso tem um nome: selecionite. Normalmente, esse vírus se manifesta no retorno ao clube. No caso, começou agora.

Em compensação, apareceu Felipe Vizeu para marcar os gols, antes a cargo apenas de Éverton. Vizeu fez dois, ambos de cruzamento da linha de fundo. No primeiro, Capixaba fez jogada individual pela esquerda e cruzou na medida para o centroavande gremista marcar.

Depois, Vizeu faria o segundo após cruzamento de Thaciano. Thaciano cruzou para o terceiro gol de Tardelli, numa jogada que lembrou os melhores momentos deste Grêmio de Renato Portaluppi e Maicon, que está completando os 90 minutos em grande estilo.

Quem não consegue manter o ritmo no segundo tempo é o jovem Jean Pyerre, que vai caindo de rendimento gradativamente durante os jogos. Temos então que o velho está aguentando mais que o jovem. Mistérios do futebol.

Individualidades:

Rodrigues voltou a mostrar segurança e seriedade, por detalhe não marcou um gol. Outro mistério do futebol: por que ele não foi escalado antes? Quero acreditar que foi por uma questão contratual, garantir o vínculo por mais tempo, algo assim.

Capixaba foi melhor que no jogo anterior, mas continua intercalando uma alegria com um susto. Na jogada que abriu caminho para a vitória, difícil vitória, ele foi decisivo.

Vico foi uma surpresa de Renato. Ele não comprometeu, e até teve alguns bons lances. Merece ser melhor observado. Renato não o escalaria se não visse nele qualidades para evoluir.

Pepê entrou no segundo tempo. Tem um baita potencial. Ainda se mostra afoito e individualista na hora errada (quando está cercado por exemplo) e precipitado nas conclusões.

Vizeu. O que dizer? Só resta uma questão: por que Renato demorou tanto a dar oportunidades reais a esse ‘fazedor de gol’?

Mais um mistério do futebol.

MULTISOM

A rede de lojas do atual vice-presidente da CBF, Francisco Noveletto, foi vendida para um grupo catarinense. Isso significa que o ex-presidente da FGF e conselheiro do Inter terá mais tempo para cuidas das coisas do futebol. Bom entendedor, entenderá.

VAR

O VAR sinalizou pênalti a favor do Grêmio. Foi um toque de mão, muito claro dependendo do ângulo de visão. Jean Pyerre bateu muito mal, no meio do gol, e o goleiro defendeu.

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Seguir discussão  
Notify of