Empate em Ijuí revela limitações técnicas no time

Aqueles que defendem a juvenilização do time a qualquer custo levaram um banho de água fria. A atuação do Grêmio, com apenas três titulares (um deles improvisado em outra função) no empate por 0 a 0 em Ijui foi decepcionante.

A gurizada, que tanto destaquei acompanhando a opinião quase unânime da torcida, desta vez não deu a resposta esperada.

O campo ruim e adversário fechado pra não levar goleada (efeito Juventude) foram complicadores, mas ainda assim eu esperava mais. Terei exagerado na minha expectativa?

Pode ser, o fato é que dos jovens apenas Matheus Henrique manteve o padrão de futebol, demonstrando amadurecimento. Está pronto para entrar do time e confirmar titularidade. Mas antes, eu ainda insistiria com a dupla Michel e Maycon.

MH poderia entrar no lado direito, mais ou menos na função que era de Ramiro. A questão é que pelo jeito quem vai ocupar essa vaga na quinta-feira, no Chile, será Thaciano.

No jogo contra o São Luiz, Thaciano passou o tempo todo jogando pela lado direito, tentando jogadas com o lateral Gallardo, que amadureceu, mas continua com dificuldade de acertar um cruzamento. Renato está adaptando o jogador à função. Então, penso que existe uma tendência de Thaciano jogar por ali, o que dará mais consistência defensiva ao time, sem perder força ofensiva.

Voltando ao jogo deste domingo, Jean Pyerre se esforçou, mas mostrou aos que querem sua escalação imediata no lugar de Luan que ainda precisa evoluir. Hoje, é uma alternativa interessante, não mais do que isso, apesar do seu enorme talento.

Gostei de rever Lincoln, que foi lançado por Felipão quando tinha apenas 16 anos. Foi um lançamento prematuro. Muitas vezes defendi sua escalação no lugar de Douglas. Quando entrou, até em função de problemas particulares, nunca deu a resposta desejada.

Em dez minutos, ele recebeu apenas dois ou três passes, embora tenha se descolado bastante. Achei estranho isso. Em sua primeira bola com mais qualidade, ele bateu forte e obrigou o goleiro a fazer difícil defesa. Será que Lincoln vai, enfim, justificar tudo o que dele se dizia e se esperava?

Os laterais foram razoáveis. Nenhum deles tem a mínima condição de titularidade. Se não for preciso contar com eles, melhor.

Na frente, Felipe Vizeu sofreu com o esquema defensivo do São Luiz, que povoou o setor defensivo, sobrando pouco espaço para o centroavante. Mais um motivo para colocar um meia de movimentação na posição.

Ainda torço para que Renato comece o jogo no Chile com Luan e Diego Tardelli, deixando os aipins só como alternativa. Claro, sem Marinho também.

Na entrevista coletiva, Renato reclamou de Pepê e Thaciano por terem perdido duas chances ótimas de gol. Usou até de ironia na crítica. Estava nervoso o técnico, que levava muita fé na vitória para chegar com boa vantagem para o jogo da volta. Como no meio do caminho tem uma pedra, o jogo pela Libertadores, ele já deve estar pensando em escalar mais titulares do que o inicialmente planejado para superar o São Luiz. Por isso, a irritação.

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Seguir discussão  
Notify of