A ambição de Novelletto e o pânico gremista

O que tem de gremista preocupado – muitos em pânico – com duas ameaças que pairam assustadoramente no ar, assim como essas imagens de ciclones e furacões que a gente vê circulando nas redes sociais e na mídia tradicional.

A primeira está definida e, aparentemente, não tem mais volta: Francisco Novelletto será dirigente da CBF a partir de abril de 2019.

Um detalhe: ao contrário do que propagam pessoas desinformadas ou simplesmente puxa-sacos do Novelletto, ele ainda não é dirigente da CBF.

Muitos gremistas associaram os exagerados benefícios que o Inter vêm obtendo das arbitragens neste Brasileirão a alguma ação nos bastidores do atilado presidente da FGF, que não disfarça seu coloradismo.

Contra Novelletto, na realidade, não há prova alguma de que ele use sua influência para algum malefício.

O que não desautoriza especulações nebulosas, principalmente no campeonato gaúcho, onde o clube dele reina soberano nos últimos 15 anos, com arbitragens questionadas fortemente pelos gremistas.

De minha parte, em âmbito nacional, duvido que ele tenha algum tipo de participação em algumas das várias arbitragens generosas a favor do Inter, o mais beneficiado até agora na competição, e também, paradoxalmente, o que mais chora.

CONFERINDO A INFORMAÇÃO

Semana passada, fui conferir se Novelletto tem cargo na CBF, como deveriam fazer os jornalistas na ativa. Telefonei para a entidade, depois de olhar o site da Confederação, onde não consta o nome do Francisco Primeiro e Único.

-Alô, quero falar com o Francisco Novelletto.

-Quem?

-Francisco Novelletto, que é dirigente aí.

-Não tem ninguém com esse nome aqui. O que eu sei é que tem um presidente de Federação com esse nome, acho que da federação do Paraná.

-Ah, tá, muito obrigado.

Esses que ficam espalhando em seus veículos de comunicação que o Novelletto é diretor ou vice da CBF deveriam simplesmente checar a informação antes de repassá-la, mas aí deixariam de massagear o ego do ambicioso conselheiro do Inter.

Ah, nas entrevistas Novelletto não esclarece que não é vice da CBF.

CARGO NA CONMEBOL

Agora, a segunda ameaça.

Por falar em ambição, o colunista de ZH, Luíz Zini Pires publicou no dia 3 de agosto:

“Futuro de Novelletto: uma posição estratégica na direção da Conmebol. A nova gestão da CBF precisa de força política no coração da Confederação Sul-Americana de Futebol e pensa escalar o experiente presidente da FGF”.

Confesso que senti calafrios. Confiram o estilo Novelletto de agir, de envolver as pessoas que podem abrir os caminhos. Segue o texto do Zini:

“O advogado paulista Rogério Caboclo, já eleito presidente da CBF, mas que  mas que assume somente em abril de 2019, é esperado em Porto Alegre até o final de agosto. Passará um final de semana na fazenda do presidente da FGF, Francisco Novelletto”.

Não se sabe se Caboclo apareceu e se empanturrou como picanhas e costelas nobres. Mas está claro que se Francisco Primeiro e Único é rápido no gatilho, se antecipa mais ágil e firme que o Geromel.

Agora, para dar um pouco de esperança à nação gremista: a eleição de Caboclo e, por tabela, do Novelletto, está sendo questionada pelo Ministério Público. E pode ser anulada.

Sabe o que fez a CBF? Numa reunião fechada (só com as federações) em março do ano passado deu peso 3 para as federações contra 1 dos clubes. Ganhou o Caboclo, atual diretor executivo da CBF.

Decididamente, falta uma lava-jato no futebol…

Se gostou, compartilhe!