Vitória importante e afirmação de Alisson

O técnico Renato Portaluppi gosta de correr risco. Escalar um time reserva dentro de casa, na data de aniversário do clube, é uma temeridade. Talvez não para ele, que já cansou de dizer que confia no grupo, que não tem apenas um time titular, etc.

Está certo, era o Paraná, um time fraco, mas o Grêmio já andou perdendo para times de igual envergadura utilizando uma formação com suplentes Aliás, tivesse sido mais comedido nessa estratégia o Grêmio estaria hoje com pelo menos uns seis pontos a mais. Portanto, muito firme na disputa do título do Brasileirão.

Felizmente, o time reserva mostrou algumas novidades que o deixaram mais qualificado em relação a outros jogos, em que o time se arrastava em busca de um golzinho. Então, Renato estava certo, até porque o que interessa na competição é somar pontos, jogando mal ou jogando bem.

O time reserva jogou bem, e isso é alentador. O que mudou em relação a outras atuações, algumas deprimentes que levaram à perda de pontos preciosos. Quero frisar que concordei e concordo com o planejamento do clube e sua escolha de prioridades, mas não gosto de radicalismo. Menos radicalismo e estaríamos melhor posicionados.

Bem, para encurtar esse texto porque hoje é domingo, um dia ensolarado, e praticamente tudo já foi escrito pelos parceiros do blog, que sofrem do grande mal que é a ansiedade. No post anterior há inúmeros textos sobre o jogo. Leiam lá e depois voltem pra cá, é minha sugestão. Verão algumas preciosidades, de gente detonando o Renato por escalar reservas antes de a bola começar a rolar. Gente de pouca fé…

O Grêmio venceu por 2 a 0, e poderia ter sido mais. Alisson sofreu pênalti, Douglas, que alguns gremistas gostam de ofender sei lá por que, bateu mal, mas fez o gol. Depois, de novo Alisson, o melhor em campo, deu um presente para Capixaba cabecear com precisão, de olhos abertos, para encobrir o goleiro e ampliar.

Sobre Capixaba, gostei da estreia. É cedo para uma conclusão, mas por enquanto é possível afirmar que Cortez tem um bom reserva.

O jogo serviu também para conferir melhor o futebol do Matheus. O guri está pronto, apesar do porte um tanto frágil para enfrentar as agruras de uma Libertadores. É uma boa opção para Renato.

Jean Pyerre teve pouco tempo. Está claro que Renato o quer como forte alternativa ao Luan. Pelo posicionamento nesse jogo, ele vai jogar entre a linha de volantes e a de ataque. Exatamente na zona de Luan. Renato já disse que vê em Jean Pyerre potencial para jogar mais perto do gol.

Grande vitória nos dia dos 115 anos do clube que honra a todos nós.

MÉDICO

Mudança no departamento médico do clube. A substituição acontece por que teria ocorrido erro de avaliação de Jael e André. Por conta disso, o time ficou um camisa 9 para disputar a prioridade do ano.

Se gostou, compartilhe!