A importância de um golzinho

O golzinho que andou faltando nos últimos jogos e tirou da moita os eternos insatisfeitos, mensageiros das trevas, apareceu ontem.

Éverton que não marcava há meia dúzia de jogos desencantou, e marcou um belo gol após lançamento longo e preciso do corneteado Cícero, considerado por uns ‘bruxinho de Renato’, e que só por isso era (ou é) escalado.

Cícero resolveu num lance de objetividade, com a bola literalmente passando sobre o tique-taque do meio de campo, e chegando ao que interessa: o gol.

Minutos antes, aos 14, Éverton havia acertado uma bola no travessão, pegando rebote dentro da pequena área. Mais um gol perdido nessa série de resultados negativos, que começou com o empate diante do Atlético PR, quando o time perdeu inúmeros gols.

Seria um mau presságio? O Grêmio dominou, teve ampla posse de bola, e poderia ter aumentado o placar. Faltou melhor complemento nas jogadas. A cada investida mal concluída, no último ou no penúltimo passe, eu temia por um gol do América.

Sabe como é, a bola que antes entrava com facilidade (contra o Santos, por exemplo), ficou mais resistente, mais teimosa. Pensava nos deuses do futebol. E não é que nos acréscimo quase Rafael Moura empata: um cabeceio que foi um coice, e uma defesa de reflexo e agilidade do GRANDE Marcelo Grohe.

Grohe garantiu a vitória obtida com o gol de Éverton, que felizmente foi esquecido pelo Tite.

São três pontos que mantém o time no bloco de cima, e, portanto, na briga pelo título brasileiro. Com uns dois ou três reforços – sem perder nenhum dos principais jogadores na janela da Copa -, poucas lesões e com os jovens da base dando uma resposta de qualidade, o tri no Brasileiro é possível. Difícil, mas possível.

O problema é que a gurizada que está entrando vem decepcionando. Um exemplo é o Lima. Renato precisa rever essa insistência. Taciano quando entra, sempre com poucos minutos, já mostrou mais futebol que o Lima.

Hora de testar Taciano na função de Ramiro (enquanto Alisson não retorna). Insistir com Lima já está virando teimosia, mesmo considerando que Renato tem, sem dúvida, melhores condições de avaliar esses emergentes.

JAILSON

Não entendo esse negócio do Jailson no Santos. Pode fazer parte de uma jogada da direção para reforçar o time usando o dinheiro dessa transação. E pensar que esse negócio poderia ser feito numa troca com o lateral Zeca. Aí sim estaria justificada a manobra. Bem, a direção merece toda minha confiança. Vamos acreditar que vem coisa melhor por aí.

Ah, e tem a possível saída de Arthur logo após a Copa. Já seriam dois jogadores de meio-campo.

SPORT

Quarta-feira, 19h30, o Grêmio enfrenta o Sport, em Recife. Fumaceira. Último jogo antes da Copa. Voltar com os três pontos na bagagem será fundamental para as pretensões do time.

Na mesma noite, o líder Flamengo pega o Palmeiras, em SP, 21h. Todos secando o Flamengo.

PALMEIRAS

Por falar em Palmeiras, aqueles que exageram nos elogios ao time do Roger após os 2 a 0 na Arena ficaram surpresos com o empate com o Ceará por 2 a 2. Por que esse empate?

O principal motivo é que o Palmeiras não fez desse jogo contra o LANTERNA uma decisão de Copa do Mundo. Tenho curiosidade em saber se o Palmeiras repetiu o número de faltas cometidas na Arena, 29 ao todo, sendo que 60% delas sobre Luan e Arthur.

Se gostou, compartilhe!