TRI da América, a cerveja mais pedida

Demorou, mas a cerveja comemorativa ao TRI da Libertadores está prontinha para ser degustada e depois, garrafa vazia, repousar como um troféu.

Na verdade, eu estava em dúvida sobre lançar ou não mais uma ‘cerveja campeã’, ou ‘cerveja do Grêmio’.

Desde o lançamento da Cerveja 1983, em 2010 – vieram depois a Olímpico, a 1903 e a PENTA -, eu sempre pensei que poderia ter a parceria e o respaldo do clube, mas há obstáculos contratuais. Uma multinacional do setor cervejeiro, segundo fui informado pelo marketing do clube tempos atrás, tem exclusividade no Grêmio na área do líquido dourado.

Então, fiquei meio desanimado. Mas continuei com o projeto, até porque sempre aparece alguém entrando em contato para pedir as cervejas. Para atender essa demanda normalmente tenho um pequeno estoque.

Bem, a cerveja do Tri não iria sair. Mas foram tantos os pedidos que decidi lançar mais uma marca destinada aos gremistas. Seria uma pena, também, deixar em branco conquista que nos enche de alegria e de orgulho.

Por isso, aí está a TRI DA AMÉRICA – nome mais original impossível. Uma cerveja tipo Lager, natural, perfeita para o paladar gremista, amarga para os colorados.

Bem, quem tiver interesse é só entrar em contato comigo ou com a Cevagol – cervejas especiais (www.cevagol.com.br).

Informo, e não é conversa de vendedor, que tenho apenas umas cinco dúzias da TRI. Depois, só com reserva.

O criador do rótulo da TRI é o gremistão Ricardo Groisman Lopes, designer gráfico. Destaque para a frase do lendário Sepé Tiaraju: esta terra tem dono. Sim, é o Grêmio.

Se gostou, compartilhe!