Ascensão tricolor e o ataque a um grande gremista

O Grêmio está a quatro jogos de interromper esses amargos 15 anos de jejum de grandes títulos.

O principal desafio é recuperar a aura de campeão do mata-mata, imagem alicerçada mesmo nos gloriosos anos 90.

Foi nesse período que o clube incorporou a expressão ‘imortal’, que tanta inveja causou nas imediações.

Hoje, o ‘imortal’ é ironizado. A fama de imbatível em mata-mata se esfarelou.

Cabe ao maior ídolo da história gremista a difícil missão de resgatar esses conceitos que tanto orgulham a nação tricolor.

Para isso, é preciso sair do Mineirão com um resultado positivo nesta quarta-feira. Quem bateu o Palmeiras, virtual campeão brasileiro, pode repetir a dose em cima dos mineiros.

Não espero que o Grêmio repita aquela atuação alentadora que teve diante do Palmeiras na Arena. Ainda mais que em jogos fora de casa o Grêmio não tem sido muito feliz, acumulando resultados negativos – se bem que com Renato a situação melhorou nesse aspecto. Com Roger o Grêmio apanhava fora de casa sem esboçar reação, indignação, revolta. Apanhava como uma ovelhinha.

O importante, e Renato já alertou para isso na entrevista coletiva, é fazer gol no jogo de ida, para ter um pouco mais de tranquilidade em casa, no jogo da volta.

Se o ataque calibrar melhor a mira penso que até a vitória é possível.

O Cruzeiro melhorou muito com Mano Menezes, mas é inferior ao Palmeiras. 

Em relação ao time gremista, eu gostaria de ver Jailson no lugar de Maicon. Ele formou uma dupla mais combativa e eficiente com Wallace. 

No mais, resta esperar que Douglas desminta seu histórico negativo nos jogos fora da Arena.

De qualquer modo, sua presença já qualifica o time em relação ao que jogou o Gre-Nal.

INTER

No outro jogo, vejo um Atlético Mineiro com muitas estrelas que estão perdendo o brilho. Sua defesa é vulnerável e a marcação no meio de campo ineficiente. Agora, o ataque se estiver numa noite iluminada pode desequilibrar em favor dos mineiros.

LAMENTÁVEL

Lamentável. Esta palavra define de maneira educada o comentário feito pelo colunista WC, em ZH desta terça. Atacou asperamente um dirigente de longa bagagem no futebol, um gremista abnegado, de enormes serviços prestados ao clube. Um cidadão que merece o maior respeito: Adalberto Preis.

Penso que a instituição Grêmio deveria se posicionar firmemente sobre essa agressão. Aliás, sobrou também para o presidente na mesma coluna, o que escancara um ódio latente aflorando. 

O cornetadorw não deixou barato: 

http://cornetadorw.blogspot.com.br/2016/10/dia-de-furia-de-wc-contra-dirigentes-do.html

 

Se gostou, compartilhe!

  • Pablo Retamoso Valim

    Proíbam a entrada desse verme na Arena.

  • A fila anda

    A imprensa esportiva trabalha em cima da ansiedade do torcedor. Então as manchetes e os comentários, em sua maioria, trabalham sobre temas relacionados a uma grande dificuldade (vencer um adversário poderoso, interromper um sequência de derrotas, quebrar um tabu, etc…), a uma crise, mesmo que suposta, ou oferecer a possibilidade de alguma conquista.

    A medida do retorno nos patrocínios online é feita, também, por número de visualizações (cliques) e engajamento. A torcida do Grêmio é muito engajada, logo noticiar algo sobre o Grêmio ou associar uma notícia com o Grêmio irá gerar mais cliques. Por isso, em muitos casos, sempre é um ex-jogador do Grêmio que fez ou deixou de fazer algo.

    Quanto mais visualizações um colunista gera, melhor ele é. Qualidade do conteúdo vem em segundo ou terceiro lugar.

    O tom exagerado que muitos “jornalistas” passaram usar para chamar a atenção e gerar visualizações, vide Baldasso e WC. E, acreditem, se eles fazem isso e continuam fazendo é porquê, lamentavelmente, tem público.

    Isso é parte da coisa.

    A outra parte, essa mais complicada, é o relacionamento incestuoso entre integrantes da imprensa e seus amigos dentro dos clubes. Os amigos dos colorados não tem pudor em fechar ou abrir os olhos conforme o interesse dos amigos. O caso william e edílson mostra bem como a coisa funciona.

    E, finalmente, os azuis fascinados pelo vermelho. Muito ouvi, não sei se é verdade, que o Pedro Ernesto critica ou elogia conforme o patrocínio… E, sim, ele é Gremista, mas, antes disso, é dinheirista. A grana fala muito mais alto. Outro desses é o tudólogo David Coimbra. Amigão do Rui Costa. Basta ver a sapatadas no Grêmio após a saída do RC. Esses caras, até torcem ou torceram para o Grêmio, mas estão muito comprometidos com outras coisas do do que com o clube.

    Por fim, fernandinho beira-rio fez parte do falecido programa sala de redação. Acham que é de graça todo o apoio que a imprensa do alento vem dando a ele?

    A solução, para um mortal como eu, é não ouvir os programas e não clicar em matérias caça cliques.

    Para o clube, bem o clube deveria entender os mecanismos que levam a opiniões mais ou menos favoráveis e, se forem caminhos dentro da ética e legalidade trilhá-los, sendo fora desses caminhos, denunciá-los.

    • Fábio Viana

      Esquecestes do famoso churrasco da segunda-feira, o salmão assado e etc…

      • A fila anda

        Bem lembrado. Sempre pode rolar uma remuneração, mesmo que indireta…

    • Ilgo Wink

      Perfeito

    • Daniel Scherer

      Parabéns, é isso mesmo.

  • Arthur J

    Só espero hoje que o Renato jogue pelo gol fora de casa…

    Se jogarmos pelo 0x0 já estaremos eliminados.