O negócio é somar pontos

Se o Corinthians vem mesmo com time reserva o negócio é aproveitar e somar três pontos.

O problema é que talvez na intenção de deixar o jogo mais equilibrado, o que sempre proporciona mais emoção e roer de unhas, o técnico Luxemburgo insista em começar com dez jogadores.

O carimbador, o burocrático Marco Antônio está confirmado para começar. Sei que ele está nos últimos suspiros como titular, porque Rondinelly já começa a partida aquecendo na beira do campo.

Depois, com a estreia de Zé Roberto, MA cairá em esquecimento, ou irá brilhar de volta na Portuguesa, que está precisando do seu talento. Escrevo talento sem aspas porque lá na modesta Lusa, MA está na sua família, junto aos seus iguais ou semelhantes. Agora, talvez contra um time de reservas, MA até dê uma resposta satisfatória, o que poderá fazer alguns leitores apontarem o dedo pra mim. ‘Viu?????”.

Ainda sobre MA, no primeiro tempo do jogo contra o Atlético-GO eu vi um momento raro, talvez único de MA no Grêmio, quando ele avançou pela esquerda e arriscou um drible. Sim, ele driblou. Eu quase não acreditei, duvidei que fosse ele, mas era. Ele passou mas sofreu falta. Depois, voltou à sua rotina apagada e inexpressiva.

Pior que eu perder meu tempo com ele, é o Grêmio perder seu tempo com ele quando poderia estar preparando Rondinelly para ser titular contra o que realmente interessa: o Palmeiras pela Copa do Brasil.

Não quero o mal de ninguém, mas com tanta gente sentindo lesão muscular, um por jogo, por que o MA não pode sofrer um estiramentozinho, coisa leve, só para ficar fora uns 20 dias?

Por outro lado, os caminhos começam a se abrir. Luxemburgo conseguiu armar uma equipe competitiva com a mão de obra que tem.

Edilson está voltando, Werley também. Kleber está a mil e aí está um cara que pode fazer a diferença nesses jogos decisivos da CB. Espero que Marcelo Moreno em condições plenas.

Acompanho com atenção um jogador em especial. Num passado recente eu cheguei a escrever que esse jogador tinha potencial para ser um novo Roberto Carlos, o lateral, não o cantor.

Estou me referindo a Anderson Pico. Ele parece mais interessado, Luxemburgo conversa com ele porque sabe que ali está um diamante em estado bruto.

Até que enfim um técnico que dedica atenção individual aos jogadores. Ele tem feito isso com o Fernando, que está cada vez melhor. A continuar assim, Fernando vira craque. Pena que isso vai significar sua convocação à Seleção.

Voltando ao Anderson Pico: se ele colocar a cabeça no lugar, for persistente, logo será titular do Grêmio.

Sobre técnico conversar com jogador: o Cláudio Winck (craqueza genética na família) no programa Cadeira Cativa comentou sua chance no time titular do Inter, foi contra o Avenida em Santa Cruz. Cláudio, que tem 18 anos, fez um primeiro tempo excelente. No segundo, caiu como todo o time.

Depois disso, ele não foi mais aproveitado. Até hoje ele não sabe por que. Aí, eu perguntei ao guri se o Dorival tinha conversado com ele sobre sua atuação e também por que ele não continuaria no grupo principal. Cláudio respondeu que não.

Quer dizer, o técnico chama o guri para um jogo, o guri vai bem e depois é largado sem uma conversa, uma explicação?

Fiquei surpreso com essa revelação. Imaginava que Dorival fosse diferente.

Eu, se fosse técnico, acompanharia os treinos da base. Telê Santana fazia isso. De vez em quando chamaria um ou outro para treinar e conversaria com ele.

Mas hoje isso é mais complicado, há tantos interesses em jogo.

Mesmo assim, não custa dar atenção aos mais jovens.

Se gostou, compartilhe!