Arena: cartão postal e o espaço tricolor

Sábado, dando uma de guia turístico para um amigo norte-americano, jornalista em Ohio, fui conhecer a Arena do Grêmio. Quer dizer, eu pensava que indo ao espaço do torcedor, teria uma visão melhor daquele que será o melhor estádio de futebol das Américas. O máximo que vi foi uma paredão de concreto.

Eu acreditava que haveria um mirante em que se pudesse ter uma vista mais adequada da grandiosidade da obra. Não tenho dúvida de que o espaço dedicado ao torcedor para conferir o andamento da construção foi mais útil quando o paredão começava a ser erguido e se podia, então, visualizar melhor o que será a Arena.

Hoje, o que se enxerga mesmo, é esse paredão. Então, de consolo, resta a maquete, realmente um espetáculo, e um vídeo, muito bem feito.

Eu fiquei frustrado. Como sou sócio tive acesso franqueado, mas paguei para os meus convidados, 10 reais, muito para o pouco que é oferecido. Continuo sem conhecer a Arena.

Meu amigo jornalista, Robbie, apesar de tudo, ficou deslumbrado.

– Por que esse não é o estádio da Copa do Mundo?, perguntou-me espantado, já que na véspera havia passado em frente ao Beira-Rio em reformas.

Comecei dizendo que na hora da escolha a Arena era um projeto, enquanto o Beira-Rio já estava ali consolidado, vistoriado pela Fifa.

Aí ele questionou o fato de que a realidade agora é que Porto Alegre em poucos meses terá um dos estádios mais modernos do mundo, mas que não irá sediar os jogos da Copa em detrimento de outro que está sendo reformado. Acrescentei que havia também interesses políticos, interesses dos gestores do Estado e de Porto Alegre, talvez mais preocupados em obter investimentos para uma área mais nobre da cidade do que para o Humaitá.

Concluí dizendo que, no final das contas, o Beira-Rio irá atender plenamente as exigências da Fifa.

Ele não ficou muito convencido. Imagino que vai acontecer o mesmo com a maioria dos visitantes, que ficarão com dificuldade para entender, e aceitar, como o melhor e mais vistoso estádio de futebol do país ficará fora da Copa do Mundo.

De minha parte, tanto faz o local dos jogos, porque não irei a nenhum. Mas para a Arena, novo cartão postal de Porto Alegre, seria bom estar no esquema, porque aí as verbas para o entorno já teriam sido liberadas.

Não tenho dúvidas, ainda, que aqueles mesmos que sempre defenderam o Beira-Rio como estádio da Copa, mesmo com o impasse ocorrido, serão os primeiros a utilizar imagens da Arena no material de divulgação.

Só espero que tenham a honestidade de colocar a legenda:

‘Arena do Grêmio: aqui não serão disputados os jogos da Copa’.

Se gostou, compartilhe!