Luxa realista após a goleada

O mais confortante e animador da goleada sobre o Ypiranga foi a declaração do Luxemburgo depois do jogo: o time precisa melhorar para conquistar títulos.

O técnico mostra conhecimento, realismo e ao mesmo tempo identificação com a imensa maioria da torcida, que pensa a mesma coisa.

Luxemburgo disse mais: que está no caminho certo, que está ajeitando o time, sinalizando que aos poucos está chegando lá.

Realmente, Luxa está estruturando o time, que se mostra mais encorpado, melhor organizado taticamente. Tudo isso é visível, até por mim que sou rançoso e amargo, conforme alguns botequeiros.

A favor do trabalho do técnico é preciso e justo considerar que ele tem sofrido com alguns desfalques importantes, decisivos até, como é o caso de Kleber.

Mesmo assim, está conseguindo armar um time, conquistando vitórias.

Agora, há dois problemas de peso contra o projeto de Luxemburgo de armar uma equipe capaz de conquistar títulos:

primeiro, o tempo. Não há muito tempo, as decisões estão logo ali adiante, questão de dias. Tanto no Gauchão quanto na Copa do Brasil. Jogadores importantes ainda estão afastados e talvez custem a recuperar a melhor forma.

segundo, a qualidade. Insisto que falta qualidade em algumas posições, duas delas fundamentais, no meio de campo, onde tudo acontece e tudo se define. Léo Gago e Marco Antônio só podem vestir a camisa do Grêmio em jogos contra equipes frágeis como o Ypiranga, que neste domingo ainda jogou extremamente desfalcada. Léo Gago até admito como reserva, mas MA não tem a menor aptidão para aquilo que se exige de um articulador.

Sei que alguns vão rebater essa afirmação dizendo que ele participou de dois lances de gol do Grêmio. A simples lembrança disso tem o poder, para alguns analistas, de apagar tudo o mais no jogo, e isso que ele fez uma de suas partidas menos apáticas. MA é tudo, menos o articulador que o Grêmio precisa para conquistar títulos.

Articulador, para pegar um exemplo muito próximo, é o D’Alessandro. Articulador é o cara que centraliza o jogo, dá ritmo, cadencia e acelera. MA faz isso?

Então, se não existe esse jogador no grupo, que seja escalado o Facundo como a ponta mais adiantada do losango. Estou convencido de que Luxemburgo se encaminha para essa solução, ao menos enquanto não chega um articulador de verdade. MA que vá disputar posição com o Felipe e o Biteco para ser reserva do Facundo.

Os 4 a 0 sobre o Ypiranga confirmaram o surgimento de um titular para a zaga: Werley, que eu já havia elogiado anteriormente, marcou dois gols, e mais uma vez mostrou firmeza e tranquilidade na zaga. É claro, sempre ressalvando a qualidade do adversário. Mas já é um alento.

Alguns apressados criticaram o Miralles. Pois eu gostei. Ele se atrapalhou em um outro lance, mas mostrou presença, vontade, garra e fez algumas jogadas que o credenciam à titularidade ao lado do Marcelo Moreno, e enquanto Kleber não retorna. Depois, quem sabe Miralles pode até formar dupla com Kleber.

Outra boa notícia é que Mário Fernandes está voltando, e que dessa vez dure mais tempo no time. Para isso, será fundamental que em seus jogos não tenha o sr Vuaden como juiz, aquele que não viu a voadora do zagueiro colorado e que resultou nesse longo afastamento do lateral gremista.

Victor falhou em dois lances. Repito, o grande goleiro só erra quando sua falha não causa maiores estragos.

Meu amigo Francisco, gaúcho radicado em Recife, dessa vez nem deu nota para o goleiro em sua cotação, publicada no comentário anterior.

Meu time titular com a volta de MF:

Victor; Mário Fernandes, Werley, Gilberto Silva (na real, prefiro um zagueiro de verdade) e Pará (é o que a casa oferece e aí recupero o tema da falta de qualidade);

Fernando, Souza, Léo Gago e Facundo; Miralles e Marcelo Moreno (que está voltando).

Com esse time dá pra brigar pelo título do Gauchão e figurar entre os quatro melhores da Copa do Brasil.

O bom é que o treinador está consciente disso e trabalha para melhorar, apesar de algumas deficiências na equipe, agravadas pelas lesões.

Se gostou, compartilhe!