Bee Gees, Cabral e bairrismo

Ainda ontem ri de uma frase do Cláudio Cabral, no final do programa na rádio Bandeirantes. Não me lembro qual, mas eu ri. Estava no trânsito.

Hoje de manhã, soube de sua morte. Foi assim de repente, não mais do que repente.

Não convivi com o Cláudio, mas sempre o admirei. Frases curtas, inteligentes, humor ácido. Era colorado, mas batia para todos os lados.

Se não era imparcial o tempo todo, era honesto em suas opiniões, e isso é o que importa no jornalismo.

O jornalismo esportivo perde em qualidade. Assim como perdeu com a morte de seu pai, o Cid, outro gigante da crônica esportiva.

Há uma frase maravilhosa do Cid no vestiário do Inter, na sala de imprensa mais exatamente (se é que ela ainda está lá por causa da obras), em que ele diz que nunca revelou publicamente qual o seu clube porque sempre acreditou na inteligência do torcedor. Ele era colorado. Mas também honesto e crítico.

Se eu fosse mais criativo não escreveria que a chuva que cai sobre o Rio Grande é como se o sábado estivesse chorando.

O sábado não chora, mas eu estou triste.

BEE GEES

Há um ano eu me preparei para comprar ingresso para o show de Robin Gibb em Porto Alegre. O show foi cancelado por motivo de doença do músico. Hoje, ele está em coma, perto da morte.

Robin e seus irmãos Barry e Maurice (falecido) fazem parte da minha vida.

O grupo deles, o Bee Gees, foi trilha musical da minha adolescência, mais até que os Beatles.

Para muitos, foi um grupo menor, com músicas simples, fáceis.

Para mim, o Bee Gees foi, e continua sendo, o máximo.

O sábado é choroso, sim. E eu estou melancólico.

Vou parar de escrever para assistir a um DVD dos Bee Gees, que será para sempre uma das trilhas sonoras da minha vida.

PROVINCIANISMO

O caso Oscar escancarou o provincianismo de boa parte da imprensa gaúcha. Não é por coloradismo (em alguns casos, também é), porque haveria a mesma reação se fosse com o Grêmio.

Felizmente, alguns cronistas agora estão admitindo que o SP está no seu direito. Tem mais é que lutar por um jogador que ele revelou.

Tem mais é que cobrar o valor que considera compatível com a qualidade do jogador.

Fosse o contrário, qual seria o comportamento da imprensa gaúcha?

Dizer que Oscar tem direito de trabalhar é correto. Mas ele pode trabalhar também no SP, nada o impede.

Nessa história, só tem um perdedor no momento: o SP.

O Inter desfrutou do talento de Oscar e Oscar conseguiu se projetar a ponto de ser um selecionável.

Já o São Paulo só perdeu.

Se gostou, compartilhe!

  • Denigelson da Rosa Ismael

    Ilgo!

    CABRAL era o máximo, gostava quando usava da ironia, uma mistura ímpar inteligência e humor cirúrgico!

  • Ricardo de Cruzeiro

    Don’t ask me why,but time has passed us by,someone else moved in from away.Minha preferida.

  • Ilgo

    First of may é legal, mas tem outras que eu também gosto, como Cherry Red

    Cabral vai fazer falta, acho que ele era o melhor na atualidade.

  • Francisco Coelho

    Grêmio 4 x 0 Ypiranga
    Não vou dar nota para o goleiro
    Victor: SN
    Gabriel: 5
    Gilberto Silva: 6
    Werley: 7
    Pará: 4
    Fernando: 8
    Souza: 6
    Léo Gago: 6
    Marco Antônio: 6
    Miralles: 6
    André Lima: 5
    Edilson: 5
    Marquinhos: 6
    Felipe Nunes: 6

    Com a saída do Francisco Cersósimo para o Atlético-MG pode ser que os goleiros agora aprendam a sair nas bolas e passar cola nas luvas assim como repor a redonda com qualidade.

  • Francisco Coelho

    A equipe Juvenil pela Copa FGF Sub-17 Jogando no Estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul bateu o Santa Cruz pelo placar de 3 a 2. Maracaram Tontini, logo aos 12 minutos Erik Roberto aos 43 e dois minutos depois Matheus Biteco marcou definindo o placar.
    Guilherme; Cambraia, Pelegrini, Matheus Silva e Erick Vilella; Duda (Arthur), Tontini (Zé Augusto), Matheus Biteco e Andrei (Caetano); Erik Roberto (Mike) e Douglas Ribeiro (Matheus Lima).
    Técnico: Alexandre Sebben.

    A equipe Junior do Grêmio manteve a invencibilidade no Estadual da categoria. Jogando na tarde chuvosa deste sábado, o time comandado por Jorge Parraga goleou o Aimoré pelo placar de 4 a 0 em pleno estádio Cristo Rei, em São Leopoldo, em jogo válido pela segunda rodada do returno.
    O Tricolor abriu o marcador aos 17 minutos da etapa inicial com Carlos Alexandre cobrando penalidade máxima.
    Na etapa final, muito superior fisicamente, o Grêmio ampliou com Caitano aos 5 minutos, Fabian marcou o terceiro aos 16 e Caitano, outra vez, fechou a goleada um minuto antes do final.

  • Lovely blog! I am loving it!! Will come back again. I am bookmarking your feeds also.