Facundo e Miralles juntos

Quem escala mal, mexe bem. Foi o que escrevi antes do jogo contra o Ipatinga e foi o que aconteceu no Olímpico, na vitória por 3 a 0.

Luxemburgo desprezou o sinal dos astros que apontavam para um time com Facundo Bertoglio na meia e Miralles na frente, como segundo atacante.

Mas Luxemburgo decidiu começar o jogo com Marco Antônio, um jogador que de tão inexpressivo dentro de um jogo não pode nem ser acusado de ruim. Ele é como aquele cara que vai participar de uma reunião e entra mudo e sai calado. Ninguém percebe sua presença.

No meu tempo de Correio do Povo havia um colega que sumia durante o trabalho e reaparecia quando o jornal estava quase pronto. Nem sempre isso, claro. A gente o apelidou de Gasparzinho, o fantasminha camarada, aquele das histórias em quadrinhos só pra deixar bem claro aos mais jovens.

Pois o MA é um Gasparzinho. Como pode um jogador que entra no time para ser o articulador e a bola quase não passa por ele? Agora, pensador ele é. Parece que passa o tempo todo pensando, mas jogada que é bom, quase nada.

Não fosse o gol de Facundo (a única participação do Gasparzinho) logo no início o jogo seria muito mais difícil do que foi. No segundo tempo, com o Ipatinga ameaçando um gol que complicaria tudo, Luxemburgo decidiu colocar Miralles. Ah, vai sair o fantasminha camarada, pensei.

Que nada, sai o único jogador criativo do time naquele momento, o Facundo. Depois, o argentino disse que estava cansado, embora não parecesse.

Um aparte: o lateral Pará é um perigo. Nos primeiros minutos do segundo tempo, com o Ipatinga levando perigo, ele fez duas faltas desnecessárias perto da área, uma delas frontal. Na segunda, quase o Ipatinga empatou após a bola pipocar na área e o jogador do time mineiro chutar nas mãos do Victor.

Bem, lá pelas tantas, jogo enroscado, Miralles marcou um golaço. Lembrei na hora do que escrevi dias atrás: Eu acredito em Miralles. Alguns torceram o nariz.

Antes de Miralles marcar o gol da tranquilidade, Luxa havia sacado MA e colocado Felipe Nunes.

Coincidência ou não, o Grêmio passou a ser mais incisivo, mas agressivo e criativo. Por fim, o gol de Léo Gago, que se revela um jogador importante taticamente com a vantagem de um chute forte de média distância. Para essa função não tem ninguém melhor no grupo e não tem como contratar. Portanto, Léo Gago é o que temos para o momento.

Agora, é impressionante o que está jogando o Fernando. Estou gostando também do zagueiro Werley. Vamos ver contra atacantes de mais qualidade.

Só espero que Luxemburgo tenha entendido de uma vez por todas: Facundo na meia e Miralles no ataque.

É por aí que o Grêmio pode ao menos fazer uma campanha digna na Copa do Brasil, que, na verdade, começa na próxima fase.

FECHANDO A CONTA

Sim, Victor falhou no gol anulado do Ipatinga. Ele saiu mal, um adversário cabeceou e a bola sobrou para alguém em posição ilegal. É como eu sempre digo: o grande goleiro erra quando sua falha não compromete um título ou uma grande vitória.

Grande Victor!

PITBULL

Um pitbull quase matou uma idosa hoje no bairro Menino Deus. Um policial a salvou atirando no animal, que começava a devorar os cãezinhos da velha senhora.

Aguarda-se para hoje uma passeata (a exemplo da ocorrida na faculdade de Veterinária da Ufrgs) em protesto contra a agressão a mais uma ‘dócil pitbull’.

Se gostou, compartilhe!