O importante é pontuar, mas…

Esta aí uma rodada que deixa gremistas e colorados na sua, sem ligar para o resultado do outro. O Grêmio venceu o Avaí, o Inter venceu o Atlético Mineiro. A dupla bateu dois pobres diabos que se arrastam no campeonato, dois condenados ao rebaixamento, esperando apenas a guilhotina desabar sobre seus pescoços.

O que importa, porém, é que ambos somaram três pontos, o que deve ser saudado com entusiasmo.

Um olhar um pouco mais apurado sobre os jogos vai apontar que Grêmio e Inter continuam instáveis, inconfiáveis.

O Inter precisou da ajuda da arbitragem. Normalmente as arbitragens são contra os gaúchos, mas não é o caso agora. Fabrício estava em posição de impedimento quando a bola foi desviada pela zaga. O auxiliar marcou. O juiz deu gol. Os dois conversaram, o juiz confirmou o gol.

Quando um time namora a segundona, tudo dá errado. Sei disso por experiência própria. Mas coitado do Atlético. É um dos clubes mais endividados do país, e agora segue rumo à segunda divisão.

O Inter sentiu a falta de Damião. Com ele a vitória seria mais tranqüila. Jô é bom jogador, mas perdeu chances que Damião não desperdiçaria.

Enquanto isso, o Grêmio segue com seu futebol tão objetivo quanto discurso do José Dirceu explicando o mensalão, pura enrolação.

Confesso que não gostei quando vi que Roth decidiu manter o mesmo time que vinha jogando. Ele acenou com mudanças (Miralles e Brandão no ataque), mas recuou. Ou não recuou, estava apenas despistando. Na verdade, acho que ele pipocou.

Aliás, escrevi no comentário anterior que se ele não pipocasse pra André Lima, começaria o jogo com Brandão, que me parece ter melhor afinidade com a bola. Mas é só uma impressão. Gostaria de ver esse centroavante em dois ou três jogos seguidos como titular. O mesmo em relação a Miralles.

Os gols do Grêmio foram fortuitos. O primeiro começou com bola roubada por Marquinhos. Mário Fernandes pegou a defesa desarrumada, invadiu a área e chutou com o pé esquerdo para fazer o gol. Teve muita sorte, porque o chute foi fraco e o goleiro quase pegou. Ao lado do Mário, Douglas estava completamente livre. Imaginem se não sai o gol…

Aos 30 segundos do segundo tempo Douglas empatou, após pegar um rebote da defesa do Avaí, que é muito fraca. Era um lance de Escudero, que jogou melhor do que contra o Vasco.

Depois disso, em vez de apertar e aproveitar que o Avaí foi pra cima, o Grêmio exagerou de novo na troca de passes, foi lento e, pior, preciocista em vários lances que poderia resultar no terceiro gol.

O Avaí descontou e por pouco não empatou.

Time ruinzinho é assim: basta ter uma vantagenzinha que já fica se achando o Barcelona. Se o Avaí fosse um pouco melhor, teria evitado a vitória gremista.

O importante é que o Grêmio está cada vez mais distante do grupo de baixo na tabela e mais próximo de confirmar presença na sul-americana de 2012. E já está de bom tamanho.

MAZEMBE DAY

Não sei se vocês notaram, mas no alto da página tem um banner sobre o inesquecível 14 de dezembro de 2010. A ideia é que cada gremista conte onde estava e o que estava fazendo nesse dia histórico, principalmente na hora do jogo em que o Mazembe bateu o Inter por 2 a 0.

Não importa quantas linhas, o que interessa é que cada gremista escreva porque não podemos deixar esse fiasco colorado cair no esquecimento.

Quem sabe a sua história não entra num livro?

Se gostou, compartilhe!