Ruim com Renato, pior sem ele

Não tenho bola de cristal, mas o próximo treinador do Grêmio não ficará até o final do Brasileirão.

Por que? Eu pergunto e explico: os técnicos disponíveis são perdedores de carteirinha ou alguma aposta. A frase que abre este post só perde a validade se for contratado o Felipão, o Tite, ou o Muricy. Não necessariamente nesta ordem.

Cogitam no nome de Diego Aguirre, técnico do Peñarol. É um bom nome se ele puder trazer consigo toda a garra que caracteriza o futebol uruguaio e injetá-la em jogadores como o Douglas, por exemplo. Ele não vai fazer isso, porque é impossível. Portanto, se vier, será um desastre.

Adilson, Cuca e ele, Roth, estão disponíveis. Dando sopa como se diz por aí. Parece que Odone admira muito o Cuca. Não duvido, mas não consigo entender como é que alguém possa admirar o Cuca.

Sei que a direção não me lê, pois se me lesse teria contratado alguém para o lugar de Jonas lá em fevereiro, e não teria disputado a Libertadores com Lins e Viçosa no ataque. Mesmo assim, dou a minha sugestão:

Marcelo Oliveira, técnico do Coritiba. Não é um nome queimado diante da torcida e uma aposta com alguma chance de dar certo em função do excelente trabalho que fez com um time mediano.

Para encerrar, aquilo que tenho dito há muito tempo se confirmou: a direção queria ver Renato longe do Olímpico. Só começou com ele a temporada com medo da torcida, já que Renato havia levado o time à Libertadores.

Com a saída de Jonas, principal nome do Grêmio e até hoje sem substituto à altura (Miralles pelo que vi joga menos que o Jonas), e com a lesão de André Lima, Renato foi obrigado a jogar com jogadores de time de segunda divisão.

Criticam o Renato por insistir com Lins e Viçosa. Mas quem no grupo é melhor? Leandro, sim, mas ele se lesionou. Além disso, ficou claro contra o Avaí que é um guri que precisa de tempo para seu futebol amadurecer. Deve ir entrando aos poucos para não ser queimado.

Então, a direção conseguiu o que queria: transformar Renato de quase unanimidade em um treinador questionável.

Sou da seguinte opinião, diante da carência de treinadores:

Se é ruim com Renato, pior sem ele.

Se gostou, compartilhe!