Mata-mata na Copa e a prorrogação de Carlos Simon

Pela primeira vez eu torci nesta Copa. Torci para o Uruguai. Vibrei com o gol do bom atacante Suárez, que deu a vitória aos nossos vizinhos.

O Uruguai tem tudo para avançar ainda mais na competição. Na quartas, enfrenta Gana. O time africano tem muita imposição física, velocidade, mas não acredito que possa superar o time uruguaio, que pode chegar à semifinal e a partir daí tudo pode acontecer.

Não consigo imaginar o Uruguai campeão, mas que o caminho está aberto para ficar entre os quatro melhores, está. E isso já será um grande feito para o país. Torço pelo Uruguai.

No outro jogo, torci pelos EUA.

O lance emblemático do jogo foi o gol da vitória dos africanos. A bola foi lançada para um zagueiro de Gana, que mais parecia um armário com duas pernas.

O zagueiro número 3 dos EUA acreditou que se jogasse o corpo em cima do adversário poderia matar a jogada, quase na risca da grande área.

Então, ele foi com tudo em cima do armário. O máximo que o norte-americano conseguiu foi que o jogador de Gana ganhasse mais impulso para matar no peito e fuzilar o goleiro.

Quero dizer que o zagueiro branquela faz isso no Luís Fabiano, por exemplo, o atacante brasileiro vai parar perto da linha lateral. O Nilmar seria jogado na arquibancada.

Se fosse comigo a trombada da jamanta norte-americana, partes do meu corpo poderiam ser encontradas na carrocinha do pipoqueiro, fora do estádio.

Já o negrão de Gana não sentiu nem cócega. Acho que esse o Loco Abreu encara.

SAIDEIRA

Agora, como é bom o mata-mata. Até um jogo entre EUA e Gana fica emocionante. Eu ainda espero ver o mata-mata de volta ao Brasileirão.

E a prorrogação, então? A adrenalina dos jogadores em campo aumenta e contagia até quem está diante da TV no outro lado do planeta.

Não pude deixar de lembrar do Carlos Simon durante a prorrogação deste sábado. Lembrei daquela decisão de Gauchão, Inter x 15 de Campo Bom, em que o Simon contou 30minutos cravados, sem descontar sequer a transição do intervalo, e ficou por isso mesmo. Um escândalo.

Fiquei me perguntando – e encaminho a pergunta aos parceiros do boteco – se ele, o Simon, faria o mesmo em jogo da Copa do Mundo?

Torço para que Simon tenha essa oportunidade na Copa.

Encontrei uma motivação a mais para seguir assistindo aos jogos.

Se gostou, compartilhe!