Viva ‘Urubulinos e Oficialistas’

Meu afastamento do blog está servindo para um monte de coisas, a começar por uma reflexão sobre se vale a pena, na última curva da minha existência, ainda assumir compromissos e responsabilidades.

O blog, que comecei a escrever com outro nome, no começo da década passada, servia como uma válvula de escape. Era meu refúgio, onde eu poderia escrever o que quisesse sem dar satisfação para ninguém, apenas para minha consciência.

Aos poucos fui sendo possuído pelo blog. Hoje, eu sei que o blog tem vida própria, já não me pertence, e isso me deixa sereno e feliz.

Eu já desconfiava que era uma partícula descartável quando percebia que quase ninguém comentava o que eu escrevia. Cada um saía por um lado, cada um na sua trincheira, disparando farpas e torpedos. E eu no meio do fogo cruzado.

Hoje, constato feliz que se eu largar tudo agora o blog vai sobreviver, moto-contínuo, até o fim dos tempos – que pelo jeito não está longe.

Vi que são mais de 800 comentários na minha ausência. Nenhum deles, claro, comentando o artigo sobre a permanência de Renato. 

Que bom que esta é uma terra de ninguém. Cada um é livre para expressar o que sente, dentro de limites éticos e morais por todos aqui conhecidos. Não tenho jeito para censor, prezo a liberdade, mas com responsabilidade.

Portanto, me poupem de intervir. Vocês já são bem marmanjos.

Então, cada um por si, Deus por todos. E seja o que Deus quiser.

Não sei quando escreverei de novo – lá em cima escrevi que estou fugindo de mais responsabilidades -, mas quando o fizer será com muita gana e entusiasmo.

Se não escrever nos próximos dias, Feliz 2019 para todos os gremistas. É isso, estou de volta.

Então, podem cantar ‘o chapa-branca voltou, ououou…’

No mais, meus sinceros agradecimentos a todos que contribuíram com o blog para que a chama não se apagasse. 

Viva ‘Urubulinos’ e ‘Oficialistas’…

Se gostou, compartilhe!