Goleada confirma crescimento dos reservas do Grêmio

Depois de bater os titulares do Flamengo por 2 a 0, o time reserva do Grêmio ganhou moral, ganhou confiança. Prova disso é a goleada de 4 a 0 sobre o Vitória, neste domingo, na Arena.

O Vitória, que tem como seu maior freguês o queridinho da crônica esportiva gaúcha, fato que não pode ser desprezado por aqueles que vão tentar diminuir a vitória tricolor nesta segunda-feira em programas de rádio, espaços em jornais e nas redes sociais.

Tão ou mais importante que os três pontos é sair do jogo com a certeza de que alguns jogadores considerados dispensáveis até pouco tempo, como Leonardo, Paulo Miranda, Marcelo Oliveira (eficiente como zagueiro) e até Jaílson podem dar importante contribuição na reta final do ano.

Após o jogo, Renato repetiu pela milésima vez que não tem um time, tem um grupo.

Até a vitória sobre o festejado Flamengo esse grupo era muito questionado, inclusive por mim, preocupado com as peças de reposição que não davam resposta quando chamadas.

É claro que a maioria desses ‘reservas’ está abaixo dos titulares. Por isso mesmo é que são reservas. Com mais confiança, esses reservas cresceram, evoluíram.

É o caso de Leonardo, que eu dava como caso perdido. Ele melhorou muito sob o comando de Renato e talvez por observar o mestre Léo Moura mostrar como se joga na lateral.

Sinceramente, eu sinto prazer quando vejo jogadores considerados descartáveis darem a volta por cima. Vejam Jaílson, que estava indo para o Santos. Que jogador! Não é craque, não é um virtuose como Douglas ou Maicon, mas carrega um piano como poucos.

Neste jogo, Jaílson fez mais do que marcar e roubar bolas, o que já não é pouco. Deu passes precisos, lançamentos e de quebra marcou um belo gol, o segundo.

O primeiro foi do veterano Douglas. É outro em que poucos acreditavam, em função da idade e do tempo parado por lesão. Pois Douglas está aí dando aula no meio de campo. Um reforço especial, que deve ser comemorado.

Fez o primeiro gol do jogo. Aqui um parêntese para destacar o jovem Matheus Henrique, que começa a ganhar espaço no time com justiça. Foi dele o lançamento para Leonardo receber na direita e cruzar para Douglas cabecear, pegar o rebote do goleiro, dominar e chutar. Matheus saiu mais cedo, sentindo uma lesão. Resta torcer para que não seja nada grave.

Outro nome que começa a se afirmar é Pepê. Está alguns degraus abaixo do Éverton, mas pode evoluir. Em jogada de Marinho, ele recebeu, cortou para dentro e chutou para fazer 3 a 0, com a bola desviando na zaga. A goleada foi completada por Éverton, que entrou quase no final, após jogada com Jael, que cada vez mais prova que seu momento é superior ao de André.

Temos então que o time reserva do Grêmio está fazendo a sua parte depois de um longo período de resultados negativos, evidência de que o trabalho de Renato no vestiário é impecável, para desconsolo e ranger de dentes de seus secadores.

 

Se gostou, compartilhe!