O desafio de Renato e Espinosa

Um time que vem de sete jogos sem vitória, duas goleadas diante de adversários medianos e que faz hoje uma campanha de quem se esforça para ser rebaixado.

É o que Renato Portaluppi vai encontrar em seu retorno ao Grêmio. Desta vez, com o sempre campeão do mundo, Valdir Espinosa, ao seu lado.

O desafio da dupla não é pouca coisa. Mas também não é pior do que as duas situações anteriores encontradas por Renato, em 2010 e 2013.

Neste domingo, os dois puderam conferir pela TV o que vão encontrar a partir desta segunda-feira, quando começam a trabalhar na Arena.

O Grêmio conseguiu ser batido pelo Fluminense, que vinha de derrota em casa para a Chapecoense.

É preciso ressaltar que não faltou empenho aos jogadores, pelo menos a meu ver. O Grêmio jogou todo o primeiro tempo no campo do adversário, que resistiu a uma pressão infernal. 

Mas aí aconteceu um contra-ataque, a partir de um erro de Ramiro. Em três passes a bola foi parar nos pés de Gustavo Scarpa – uma das revelações do campeonato. Habilidoso, Scarpa não teve dificuldade para fazer 1 a 0, o gol da vitória.

O gol teve impacto forte no time tricolor. Murmúrios vindos da arquibancada contribuíram para perturbar ainda mais o time.

No segundo tempo, o técnico interino James Freitas se manteve fiel à herança deixada por Roger Machado. Manteve o trio de volantes, inclusive com Ramiro, que disputa com Marcelo Oliveira a posição de mais odiado pela torcida.

Bem, o time ainda seguiu tendo mais posse de bola, mas já sem a pressão inicial. E sem nenhuma objetividade e efetividade ofensiva. Muito toque de bola, chutes de longe e pouca infiltração.

É visível a queda de rendimento de alguns jogadores. Edilson, por exemplo, que acumula quase uma dezena de cartões amarelos.

Kanemann é outro que gosta de bater. Wallace é melhor que ele.

Enfim, Renato e Espinosa terão muito trabalho pela frente. 

E a resposta precisa ser rápida, começando por garantir vaga na próxima fase da Copa do Brasil na quarta-feira diante do Atlético Paranaense.

Basta um empate. Mas para garantir a vaga o Grêmio terá de jogar bem mais do que apresentou neste domingo diante de seus torcedores assustados, revoltados e preocupados.

Conhecendo Renato, o Grêmio será sem dúvida mais vibrante e objetivo.

Se gostou, compartilhe!

  • Borges

    Vamos começar do princípio. Uma torcida que idolatra um goleiro medíocre como Marcelo Grohe merece os 15 anos de jejum. Ha dois anos que vem falhando sistematicamente e entregando em vários campeonatos. Sempre arrumam um salvo conduto para explicar suas falhas.

    • Detective

      Mas para eles o Sant’ana estava errado. Quem começou com essa idolatria foi o chinelo do Pedro Ernesto.

  • Paulo Juliano Roso Teixeira

    Uma pena que a diretoria pense mais na acomodação de parentes e na política do que no clube. Somos um arremedo de time com um grupo fraquíssimo. Aceitaria passivamente as justificativas das dificuldades financeiras não fosse o gasto absurdo no Capitão Desconforto, Walasse – odiado pelo torcedor flamenguista – Reis, renovação de MO, aquisição do H.A., prolongamento de contrato do T-Rex , o contrato de “produtividade” do Doga que leva em conta a assiduidade, além da nebulosa transação do Giuliano. Corremos atrás do rabo.

    • Detective

      Bah! É verdade! Pelo menos entramos para a história. Temos um T-Rex no gol.

      • Marcos lena

        O gol de ontem, faltou técnica para o Grohe, se ele fica de pé, poderia defender com o pé. A bola estava muito longe e com tempo de reação. Passou por debaixo do corpo, ele tentou encaixar a bola. Eu acho que ele errou sim

  • Serrano

    Sabem… é muito comum, quando se fala de Romildo Bolzan Jr., dizer algo do tipo: tá, mas pelo menos ele tá colocando as contas em dia.

    Eu vou ser muito chato se NEM MESMO ISSO eu conceder a ele? Que tal esperar um ano ou dois pra se fazer essa afirmação? Não tenho nenhuma informação privilegiada, mas não seria a primeira vez que a “reestruturação financeira” de hoje se torna o ” temos essa e esta outra dívida da Gestão passada” de amanhã. Até em déficit mensal andaram falando esses dias.

    O Grêmio de 2016 me tornou um gremista muito mais cínico. Então, se eu achar que não merecem crédito, não o terão.

  • Ricardo de Cruzeiro

    AMÉRICA,Quando Deus fecha uma porta,Ele abre uma janela!