Noite de superar altitude e deficiências

O Grêmio vai passar de fase na Libertadores. 

Hoje, precisa jogar pelos três pontos, sem pensar em prêmio consolação, o empate. 

Voltar com um ponto na bagagem não chega a ser ruim, embora a projeção seja de adversários mais fortes na próxima fase. Tipo Corinthians e Atlético Nacional, melhor campanha da competição.

O ideal é vencer hoje e também o jogo contra o Toluca.

Mas sempre há percalços no caminho que leva ao ideal.

A começar por esta noite. Confesso que estou preocupado.

A altitude é um problema, físico e psicológico. Depende de cada um.

Mas há outra dificuldade. Percebo que os torcedores em geral não querem pensar muito a respeito do time que enfrenta a LDU.

A qualidade do time que enfrenta a LDU.

Eu avalio que um time para ser vencedor de verdade não pode ter mais do que dois jogadores meia-boca, jogadores medianos, dos quais não se espera muito, a não ser que não comprometam.

Pois o Grêmio tem, a meu ver, seis jogadores inconfiáveis em sua escalação.

 

Alguns são quase unanimidades negativas, outros geram polêmica. Douglas e Bobô são, a meu ver, insuficientes para o desafio de conquistar uma Libertadores. Podem ser, no máximo, alternativas para o decorrer de uma partida. Nada mais do que isso.

 

Há quem os defenda, tudo bem, mas eu os prefiro fora do time titular.

Os outros quatro nomes que considero insuficientes, ainda mais juntos no mesmo time, no mesmo jogo:

Wallace Oliveira, Fred, Marcelo Hermes e Edinho.

Tem ainda Giuliano, um ótimo jogador que vive uma fase instável.

Apesar disso, acredito na vitória. Por que? 

Porque sim, ora!

 

Se gostou, compartilhe!