Reserva de Douglas salva o Grêmio

Neste campeonato de perde-ganha, em que uns mais perdem do que ganham, o importante é somar pontos.

O Grêmio fez o que não conseguia há bastante tempo: vencer uma partida.

E isso merece ser saudado efusivamente. Não importa como a vitória aconteceu, isso é um mero detalhe.

Não importa se Victor deu mais uma vacilada. Alguns dizem que foi erro grosseiro, não concordo. Foi um bola venenosa, cruzada com carinho pelo excelente lateral do Fluminense. Vejo mais méritos do adversário nesse lance. Ainda assim, Victor deu mais munição aos seus críticos.

Sigo com meu pensamento: Victor é titular.

Depois do gol, a reação do time. Mas antes da virada, vaias de torcedores. Vaias para Leandro, Lúcio, Marquinhos, Adilson e sei lá mais para quem.

Alguns torcedores deveriam ficar em casa. Ou então ruminar sua raiva em silêncio. Vaiar jogador que não se esforça é uma coisa, vaiar quem tenta superar sua limitações técnicas com muita disposição é outra.

Adilson é um acerto de Roth em termos defensivos. Um grande acerto. Mas Adilson quando se projeta tem dificuldades. Coitado do centroavante.

O André Lima é limitado. Depende de jogadas. Imagino a inveja que ele deve ter sentido quando Fred recebeu aquele merengue na cabeça para fazer 1 a 0. André Lima não foi agraciado com nada parecido desde que voltou ao time.

Lúcio é outro esforçado. Merece aplauso, não vaia. Ele se entrega, mas ele tem o seu limite técnico e diria até intelectual. Não é um jogador inteligente, longe disso, mas é aplicado.

Então, lá pelas tantas, na garra, ele livrou-se do marcador e encostou para Marquinhos, que também sofria com vaias. Marquinhos chutou meio desajeitado e, felizmente, apareceu um zagueiro no meio do caminho para ajudar a enganar o goleiro: 1 a 1.

Mais adiante, agora com moral e mais confiança, ele fez 2 a 1. Parte gol ele deve a mim. Quem me conhece melhor sabe que no decorrer de um jogo eu afirmo certas coisas e dá justamente o oposto.

No caso de Marquinhos, eu fiz de propósito, usando esse meu poder. Afirmei: “O Grêmio não faz gol de falta a horas, não vai ser agora que fará um gol”.

Não deu outra: gol do Marquinhos.

Aliás, Marquinhos é um jogador que sugeri há um ano, antes de ele ser contratado pelo Santos. Gostava dele no Avaí, um articulador de boa técnica e com aplicação tática, diferente do Douglas, que tem muito mais qualidade, mas que joga futebol como se estivesse num mundo à parte.

Confesso que prefiro jogadores que se dediquem mais, que marquem, aos que só jogam com a bola nos pés, mesmo que algumas vezes sejam brilhantes. Agora, se forem geniais quase sempre, aí realmente não precisam marcar. Não é o caso de Douglas.

Ah, alguém sentiu a falta de Douglas? Talvez o Fluminense.

Então, Douglas pra mim é reserva de Marquinhos, que merece uma sequencia de jogos como titular. Lúcio, apesar dos pesares, ainda é o mais eficiente pela meia esquerda.

O ataque. Esse é um caso sério, grave mesmo. De que adianta ter um centroavante cabeceador se a bola de linha de fundo quase não existe?

Se André Lima estivesse no Santos, onde Borges recebe papinha a toda hora, seria goleador do Brasileirão. São dois atacantes sanguessugas. Diferentes, mas iguais na essência.

Vamos ver se Brandão será a solução. Como rima deu certo, mas desconfio que ele é da família de André Lima.

O Grêmio somou três pontos e isso é o que importa. Mas há outro ponto a ser considerado: o time quase não deu chances de gol ao adversário. E este sim é um fato novo, e altamente positivo.

INTER

Osmar Loss cumpriu seu dever. lançou alguns jovens promissores. Dorival Jr  recebe uma boa herança.

Fora isso, Loss não venceu o Bahia por detalhe. O Inter foi superior e mereceu vencer.

É claro que a arbitragem ajudou ao anular o gol de Carlos Alberto ainda no primeiro tempo. Os colorados já não podem mais reclamar que só o Corinthians é beneficiado.

O fato é que o Inter segue na briga por vaga na Libertadores.

SAIDEIRA

Sugestão de leitura: artigo do empresário (não de futebol) José Gallo, pagina 11 de Zero Hora dominical. Ele explica com poucas palavras por que o Grêmio está nesta pindaíba e por que vai continuar padecendo se não houver uma mudança radical no clube. É um texto para ser lido numa sessão do conselho deliberativo do clube.

Se gostou, compartilhe!