Enquanto os cascudos não chegam…

Com Renato não tem lero-lero. Sobre Douglas ter proporcionado dois contra-ataques perigosos do Bahia, Renato revelou o que diz aos jogadores a esse respeito.

– O Douglas tem muita qualidade. Sempre digo pro pessoal ficar ligado quando ele está com a bola porque alguma coisa vai sair, inclusive contra-ataque.

E é a mais pura verdade. Se Douglas abusa do toquezinho de calcanhar quando o jogo está encrespado, imagine vencendo o Bahia no Olímpico. É mais forte do que ele essa tendência a dar uma enfeitada.

Sou admirador do Douglas. Sem ele, o time perde muito. Agora, com a chegada de Marquinhos ele tem uma sombra. Vacilou, tem substituto à altura, sem a mesma técnica, mas com outras qualidades, como maior disposição para a marcação, o combate.

O mais importante da tarde no Olímpico foi a vitória. Esse time do Bahia não é bobo. Ameaçou fazer gol várias vezes. Numa delas, Jobson ,um jogador habilidoso e rápido, deixou o Souza livre para marcar. Souza foi lento, tentou driblar em vez de chutar e acabou desarmado quase dentro da pequena área.

Se Souza foi vacilão, a zaga gremista foi esperta, atenta. E esteve assim durante a maior parte do tempo. Gostei da gurizada na defesa, com destaque para o Mário Fernandes, jogador de seleção brasileira, que o Mano não me leia ou que não fique olhando muito aqui pro Sul.

Neuton está confirmando o que eu sempre vi nele: lateral-esquerdo dos melhores. Bem trabalhado, é outro que será convocado pelo Mano, infelizmente. Saimon esteve em bom nível ao lado do Rafael Marques, também de boa atuação.

FR foi de novo exuberante. Gostei do Escudero. É uma opção interessante. Mas ainda precisa jogar muito mais para ser titular.

Na frente, o Lins me surpreendeu com o passe para Viçosa fazer o segundo gol. De resto, é um atacante limitado. Já o Viçosa tem muito potencial. Com tranquilidade e auto-confiança, pode se tornar um goleador.

Enfim, Renato está conseguindo somar pontos mesmo sem uma dupla de ataque realmente confiável e uma zaga de maior respeito.

E tudo isso sem todos os cascudos.

SAIDEIRA

Falcão perdeu o medo e armou um Inter mais agressivo, com Oscar e DAlessandro juntos no meio de campo.

O time jogou mais solto. Zé Roberto, pelas boas jogadas, Oscar, pelos dois gols, foram o destaque dos 4 a 2 sobre o América Mineiro.

O Inter soube aproveitar bem o fato de o jogo ter sido em campo neutro, sem aquela pressão da torcida adversária.

É claro que Falcão não irá repetir essa formação contra adversários de maior porte, porque os técnicos de modo geral são medrosos

Falcão poderia seguir o exemplo de Renato, que é mais ousado e atrevido, independente do adversário.

Se gostou, compartilhe!