Força máxima e nova humilhação

Não me lembro de ter visto o futebol sul-americano ir tão bem numa Copa do Mundo.

O futebol que abastece de mão de obra o primeiro mundo juntou seus ciganos, seus andarilhos, e se revela forte, mais do que se poderia imaginar.

Brasil e Argentina são sempre candidatos, normalmente favoritos.

Já Uruguai, Chile e Paraguai estão na série B do futebol mundial. É com alegria que vejo o Uruguai se encaminhando para disputar as quartas de final. Na próxima fase, pega a Coreia do Sul. Tem tudo para passar.

A Argentina deve patrolar o México. Agora, tudo pode acontecer nesses jogos. A tendência é de que os nossos hermanos passem. O mesmo deve ocorrer com o Brasil, se não pegar a Espanha.

Se o adversário for a Espanha, aí complica.

Por outro lado, lamentável o que aconteceu com a França. Finalista da última Copa, classificada na “mão grande” para este Mundial, a França foi um fracasso.

Seu técnico, o tal de Domeneche (que me lembra um filme, e uma música, da década de 60, dominique, se recusou a cumprimentar o Parreira depois de perder para os africanos). Aí eu comecei a entender o clima belicoso no vestiário francês.

SAIDEIRA

O sempre atento Francisco manda a seguinte notícia, publicada em SP:

“São Paulo, SP, 21 (AFI) – No início da tarde de hoje, 2a. feira, 21, o prefeito Gilberto Kassab promoveu reunião SECRETA na Prefeitura de São Paulo. O Portal Futebol Interior teve acesso a informações exclusivas relativas à um plano para a construção de um estádio para o município, após o veto ao Morumbi.

Este novo palco seria escolhido pela CBF e pela Fifa para mandar os jogos da Copa do Mundo de 2014 e, no final, ficaria de uso praticamente exclusivo do Corinthians, como acontece no Rio de Janeiro com o Engenhão, “arrendado” pelo Botafogo.
Objetivo: viabilizar o Estádio Piritubão.

Presentes: pela Federação Paulista de Futebol, o vice-presidente Mauro Marques, manjado lobista ligado ao PT (Partido dos Trabalhadores).

E diretores da Empreiteira Andrade Gutierrez, a terceira maior do país. A primeira é a Odebrechet, a segunda a Camargo Correa, que teria pago propinas a Roque Citadini. A terceira é a mineira Andrade Gutierrez.”

É por essas e outras que sou contra a Copa no Brasil.

Se gostou, compartilhe!