Conmebol exala odor de esgoto cloacal

Lamentável a decisão da @conmebol, entidade com largo histórico de histórias mal contadas. Imaginei por um instante que ela tivesse um mínimo de seriedade, dignidade e transparência.

Nem vou comentar mais esse assunto que tem odor de esgoto cloacal.

Agora, sou um sonhador. Sonho com o dia em que os clubes brasileiros abram mão, todos eles, da Libertadores enquanto ela for comandada por velhos ‘gardelóns’, decidindo sempre contra o Brasil e a favor dos clubes argentinos.

Resta o Brasileirão.

IMPORTANTE VITÓRIA EM MG

É preciso ser realista no Brasileirão. Matematicamente, ainda é possível brigar pelo título. Mas a realidade aponta que o Palmeiras será campeão, e que, portanto, o melhor a fazer é torcer para que o time de Felipão dispare e afaste de vez a ameaça de título vermelho.

O objetivo tricolor no Brasileirão, agora, é entrar no G-4 e não mais sair.

Agora, existe uma motivação a mais – e para mim mais importante – para ver o Grêmio subindo na tabela: é a competição paralela com o Inter. Que ‘título’ fenomenal seria entrar no G-4 na vaga colorada, que ficaria em quinto lugar. Tudo é possível.

O primeiro passo para isso foi dado em Belo Horizonte, no estádio Independência. O Grêmio fez 1 a 0 aos 2 minutos e resistiu bravamente, coisa que não conseguiu no meio da semana diante do River, quando acabou permitindo a virada (um gol que deveria ter sido invalidade).

O gol tricolor teve origem num escanteio após defesa de Victor, numa conclusão de Éverton. Jean Pyerre cobrou e Jael conseguiu, enfim, ganhar uma bola pelo alto. Victor defendeu, deu o rebote e Geromel fez o gol.

O mesmo Geromel, aos 36, salvou de peixinho uma bola que entrava no canto direito, já com Paulo Vitor batido. Geromel, outra atuação estupenda e decisiva.

O Atlético teve mais posse de bola e iniciativa. O Grêmio tratou de se defender, mas sem perder possibilidades de contra-ataques.

A defesa saiu-se muito bem. Mas o destaque vai para o meio de campo, onde Jean Pyerre e Matheus Henrique tiveram atuações alentadoras, mostrando que Renato já pode pensar em ambos como alternativas concretas para o time principal.

Na frente, Éverton foi o mais incisivo e perigoso, mas mostrou que ainda não está em sua melhor forma técnica. Alisson entrou no lugar de Ramiro e acrescentou qualidade. Tanto que na reta final do jogo o Grêmio teve pelo menos duas chances claras de ampliar. Tetê substituiu Éverton, e pouco contribuiu, embora o adversário já estivesse exausto.

PALMEIRAS

Bateu o Santos por 3 a 2 e segue disparado na liderança. Tudo indica que o Palmeiras será mesmo o campeão.  Menos mal. Podia ser pior.

JURÍDICO

Parabéns ao integrantes do jurídico do Grêmio e ao presidente Romildo Bolzan. Foram bravos e competentes na ação. Tão eficientes que a Conmebol, tivesse ainda um mínimo de dignidade, estaria constrangida ao negar a punição extrema ao River Plate e ao seu treinador, que deve estar gargalhando agora, rindo da nossa cara. Mas tem volta.

 

Se gostou, compartilhe!