Os dois Douglas e a praga do ‘pontinho fora’

Todos sabem – alguns fingem não saber por interesses diversos – que o Campeonato Brasileiro é um perde/ganha que não respeita nada nem ninguém.

Mesmo assim, demonstram surpresa quando um time da ponta de cima perde ou empata com outro da ponta de baixo.

Na última rodada, por exemplo, o Grêmio ficou apenas no empate com o lanterna América-MG. Um resultado inaceitável ainda mais acompanhado de uma atuação próxima da leniência. Mas um resultado que não poderia causar tantas reações raivosas, a maior parte delas provocadas por 15 anos de seca, o que sempre gera uma expectativa tipo ‘agora vai’ com proporcional frustração e revolta.

Tudo muito natural. Ninguém gosta de perder e/ou ver seus sonhos frustrados. Na mesma rodada, o time que liderava foi batido por um adversário que vive beliscando a zona do rebaixamento, o Botafogo. Pelo que soube não houve reação tão forte entre os palmeirenses.

Então, as vitórias e as derrotas surpreendentes fazem parte do circo do brasileirão, uma competição repleta de armadilhas e caminhos tortuosos que podem levar ao título ou ao rebaixamento. 

DOUGLAS

No caso do Grêmio, o que interessa agora é descobrir o que acontece com o time nos jogos fora de casa. Todos nós temos nossas explicações, nossas teses.

Vou começar pelo Douglas. O Douglas que joga na Arena, sob o olhar atento e fiscalizador da torcida que nos momentos de raiva o chama de ‘barriga de cadela’, é um. Fora de casa, é outro. Se o Douglas mantivesse o mesmo padrão em casa como fora, as coisas poderiam ser diferentes.

Contra o São Paulo, vi o Douglas combatendo na linha da grande área defensiva. Depois, saindo rumo ao ataque.

Esse Douglas tão interessado só aparece nos jogos na Arena e nos confrontos contra equipes de maior parte. Lembram aquela atuação contra o Atlético Mineiro coroada com um gol antológico de Dougla?

Pois esse Douglas não apareceu contra o América. Estejam certos, ele volta contra o Santa Cruz. Na Arena. 

Estou convencido de que o desempenho de Douglas reflete em todo o time.

Até o goleiro Marcelo Grohe fica contaminado, demonstrando satisfação com o empate fora e fazendo uma cera que contrastou com a vontade do restante do time, mesmo desfalcado de Edilson nos minutos finais.

PONTINHO FORA

Deveria ser baixado um decreto no Grêmio contra frases do tipo:

“Vamos buscar três pontos em casa e beliscar alguma coisa fora”.

Não. Errado.

Isso funciona na cabeça do jogador, ou boa parte deles, como uma senha para jogar sem o mesmo empenho.

“Ah, ganhamos em casa, agora podemos jogar pelo empate que o pessoal vai ficar satisfeito”.

É a fórmula para não ser campeão.

Então, declarar que pontinho fora funciona como gol contra.

O resultado disso é limitar-se à luta por vaga na Libertadores.

Conforme tem destacado o blog cornetadorw, inclusive com dados de outros campeonatos brasileiros, só conquista o título o time que consegue acumular um número importante de vitórias fora de casa.

Vejam, três empates fora resultam no mesmo número de pontos de uma vitória.

O exemplo para mudar esse comportamento (estimulado pela maioria dos analistas esportivos e aceito por boa parte da torcida) deve partir da direção, do presidente do clube.

O Grêmio deve sempre entrar em campo fixado em jogar pela vitória, considerando o empate tão danoso quanto a derrota. Mesmo na casa do adversário.

É óbvio que determinados empates, pelas circunstâncias do jogo, mas só pelo andamento do jogo, podem ser até festejados.

Não foi o caso do jogo contra o América Mineiro.

Se gostou, compartilhe!

  • Francisco Coelho

    A quarta-feira foi boa para o Grêmio. A quinta-feira poderá ser se o Roger mostrar serviço. Cada um tem suas preferências e eu não gostei da escalação. Mesmo gostando de cada macaco no seu galho Walace e Ramirinho é dose. No caso do Grohe também é muito confuso. Nesta idade é difícil endireitar.
    Como não sou Peru para tomar pinga na véspera vou esperar uns 15 minutos pra as melancias se acomodar.

    • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

      Tens razão, Patrono, analisar ”o resultado” depois do jogo é bem mais fácil.

      • Francisco Coelho

        Douglas vai se arrastar em campo. Negueba vai errar chutes. Grohe vai tomar um frango. A torcida vai vaiar.

        Grafite vai jogar a marcar. Maicon vai levar amarelo e Av. Marcelo vai amarelar.
        Analisado. Li numa bolita. Kkkkkkkkkkkkkkk

        • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

          Que Deus nunca te ouça, amigo, socorro kkkkk.

          • Onager Tribalwars

            Bah! O Corinthians perdeu pro Atlético-Pr, mas pressionou o time do Autuóri. Chutaram mais de 10 vzs em gol. Aposto que perderam e nenhum torcedor corinthiano reclamou, pq será hein, meu Treinador ?

  • Fábio Viana

    O pontinho fora está institucionalizado, acredito que se ler todo o Estatuto do clube, haverá um item dedicado somente ao pontinho fora.
    “Buscarás sempre o empate longe dos seus domínios, pois é só ganhar todas em casas e empatar fora que serás campeão.” Amém.
    Ou algo do tipo.
    Repito.
    O Grêmio perdeu seu discurso vencedor em algum momento nesses últimos 15 anos.
    Nunca mais se ouviu algum dirigente falar “vamos patrolar”. Por mais que não tenha afinidade com o autor desta frase, ela pelo menos simbolizava algo.
    Jogava para a torcida e também dava o recado ao grupo de jogadores, inconscientemente motivava e cobrava alguma coisa.

    Esse discurso de perder jogo fora e depois falar “Temos totais condições de reverter o resultado” ou “Se eles ganharam da gente, podemos fazer o mesmo” e blá blá, não me convence.
    Falta o discurso forte e vencedor. Não falo do tal “pé na porta do vestiário”, mas laguém que seja claro e objetivo com esses peladeiros.
    Duvido que alguma dessas últimas direções de futebol, tenham em algum momento se reunido com todo o grupo de jogadores e passado claramente quais são os objetivos do clube e o que desejam dos atletas.

    Mas não dá nada, já tentei desistir, mas alguma força oculta sempre me puxa de volta na torcida para este enorme e amado clube.

    Abraços.

    • Ilgo Wink

      Essa ‘força oculta’ pode ser traduzida para ‘paixão’. é uma cachaça, não adianta.

  • Currador do futuro

    Bom dia e parabéns pelo post Ilgo! Você tocou num dos pontos cruciais que evidenciam estes anos de fracassos. Imprimir e exigir uma atitude vencedora, pra ser campeão, é o ajuste fino que deve ser feito, começando pela diretoria e comissão técnica, refletindo em campo e contagiando a torcida. Creio que administração do clube, time, treinador e torcida nós temos pra bater de frente com qualquer clube do Brasil. O que falta é coragem e vontade de assumir uma postura campeã por parte de alguns jogadores e pessoal da direção. Essa zona de conforto que nos leva a ser coadjuvantes nos campeonatos e a estratégia de buscar pontinho fora tem que ser extirpada do clube de uma vez por todas. Quem sabe alguém poderia auxiliar o Roger nesta deficiência psicológica do elenco e do próprio Roger. Na minha opinião, o elenco deve ficar sim em constante pressão pra conquistar um título, porque com comodidade e conforto teremos mais um ano perdido.

    • Ilgo Wink

      Muito bem, Currador. Jogador de futebol pra se acomodar não precisa muito, basta um empurrãozinho. Dizer que um pontinho fora é bom é uma deixa…

  • Francisco Coelho

    Pobre bola…

  • Daniel Scherer

    E agora, quem vai defender o Roger??????

    Eu não defendo mais, não pondero mais a respeito de trocar o treinador. Hoje foi a gota dagua. Futebol indolente. Manter douglas troteando em campo, Marcelo Oliveira e Maicon sem sangue nas veias, e ressucitar W. Oliveira pra mim deu, não dá mais, a cota dele esgotou, não tem desculpa mais.
    Que o São Paulo leve ele, se não aprendeu em 1 ano e meio que Douglas NUNCA foi o pilar técnico de time nenhum, quando muito um bom reserva, não vai aprender mais e vamos ficar novamente no quase. Bruxismo, escolhas erradas, posicionamento de jogadores errado para manter o Douglas no time, bola parada defensiva, e isso tudo vem desde o segundo turno do ano passado, a gente alivia mas não esquece, eu pelo menos não.
    Sei que não vão trocar, mas eu larguei a barca, vou me dedicar a torcer pelo rebaixamento do Inter, é o que me resta. Por mim trocava hoje. Colocoar quem? Não sei, mas acho que os erros de Roger já são muito, mas muito maiores que os acertos.É muita teoria para poca prática. Vaza Roger. Vaza Douglas e bruxos.

    • Andre Peixoto – Sarandi/RS

      Assistir os mesmo erros desde o início do ano cansa. Douglas cobrando escanteios no primeiro pau. Douglas cobrando faltas (na primeira que não foi ele quem cobrou o Bolanhos meteu na trave). RW devia postar de novo o A ESPERA DE UMA METIDA. Porra, essas coisas cansam. MO sendo o mesmo imprestável de sempre. De tantos erros, até os bons jogam mal. Caso do Jailson. Foi muito abaixo do que sempre foi. Mas como cobrar de Bolanhos algo melhor se ele olha prá um lado está Negueba e MO, olha pro outro e está o Douglas e WO? Que parceria…
      Cobrar da torcida? Ah tá… Pagar ingresso caro prá cacete em jogo contra o Santinha e assistir um papelão desses é prá super herói…
      Outra coisa que queria falar: se o Lincon não serve para os jogos fáceis, porque colocar o guri numa panela de pressão? Coerência? Esperar que Roger tenha essa palavra é demais…

      Prá mim deu…

      • Onager Tribalwars

        Ele disse que pegar o Atlético Pr, no sorteio, foi falta de sorte.

        Só por ter dito isto já merecia uma carraspana, afinal quem é o clube grande ?

      • Daniel Scherer

        Se formos ver, faz exatamente 1 ano que Roger vem literalmente” cagando no patê”. 2º turno do ano passado, Copa do Brasil 2015, Gauchao 2016, LA 2016, Sul-Minas 2016, e agora essa fiasqueira na virada do turno. Vai torrar a gordura nas proximas 5 rodadas, e na Copa do Brasil 2016 todos já sabem o que esperar.
        Na boa, a coisa só não está pior porque os outros são ruins também e a turma da beira lago esta se afogando.
        No ritmo que vai, mais 5 rodadas e vamos estar disputando NADA.
        Roger colcca a culpa na torcida por estar vaiando aos 20 min. Não, temos que ver o Seu Boneco se arrastando em campo e aplaudir. Ver o M. Oliveira cagando em campo e achar bonito, e por ai vai.
        Até hoje eu ainda tentava ter esperança que ele fosse mostrar algo diferente da mesmice de um ano inteiro fazendo bobagens, mas agora deu, chega de Roger e sua fala catedratica. Vai fazer um estágio no São Paulo e daqui a um tempo eu posso estar chorando pela sua volta, mas agora eu quero sorrir com sua saída.

      • JPFONTOURA

        Concordo. Mas deixaria o Roger até o fim do ano. Não vamos ganhar mas não vanos cair. Pensaria no ano que vem. Eu contrária entre Vagner Mancini, gordiola e Milton Mendes. Lembrando q ele estava ano passado no furação quando estava fazendo um boa campanha. São técnicos com perfil similar do Roger q buscam o jogo ofensivo. Eu acho que trocar o Roger agora não vai adiantar muito não.

        • Andre Peixoto – Sarandi/RS

          Se o novo treinador usar as peças certas temos grandes chances de sair da fila. Roger não tira mais nada desse grupo…