Projeção radical para 2012

O campeonato, para o Grêmio, já terminou. E terminou bem, apesar de tudo. A vitória sobre Ronaldinho e seus Flamenguistas foi uma compensação pelo fracasso no Gauchão, na Libertadores e no Brasileiro.

Eu não trocaria o momento apoteótico de domingo no Olímpico por uma vaga na Libertadores. E não é exagero. Está provado que o Grêmio nos últimos tempos não sabe o que fazer com a vaga que conquista. Portanto, fico com a felicidade de ver Ronaldinho sair do Olímpico com o rabo entre as pernas, com cara de bunda, e com a Copa Sul-Americana como consolo. Tem ainda a Copa do Brasil. Somando com o Brasileirão, são três oportunidades de buscar a Libertadores de 2013.

Bem, o que resta agora é terminar o Brasileiro com a vaga na Sul-Americana garantida. Libertadores até seria possível se a cada jogo daqui para a frente o Grêmio tivesse a seu favor o clima que imperou no Olímpico. Foi isso que fez cada jogador dar mais de si e até jogar o que não vinha jogando (vide a janelinha do André Lima). Sem a força dessa torcida maravilhosa, não tem vaga na Libertadores. Melhor preparar o futuro.

Para começar, Paulo Paixão deve ser mantido a qualquer custo. Celso Roth até pode continuar, se não vier o Tite, por exemplo. Tem gente falando no Jorginho, da Portuguesa. Pode ser. Mas é uma aposta, como foi o Silas. Nei Franco seria um bom nome. Quem sabe o Caio, do Botafogo? Técnico é uma questão em aberto, mas sei que se depender da direção Roth vai continuar. Para isso, não pode pedir muita grana.

Sobre o time: sou radical. Só vejo quatro titulares: Victor, Mário Fernandes, Júlio César e Fernando.

Numa segunda linha, escalo Saimon, que cresceu no meu conceito com o pontapé no Ronaldinho. Fora isso, tem mostrado condições de ganhar a posição, ainda mais se tiver um zagueiro mais experiente ao seu lado, um zagueiraço. Um cara como o Oberdan, que desembarcou no Salgado Filho em 1977 dizendo que ele seria o dono da área e que ali nenhum adversário cabecearia. Dito e feito. Mas um jogador assim é mais difícil de encontrar do que achar um político incorruptível.

Penso que jogadores médios, mas identificados com o Grêmio, e de custo razoável, podem ficar. É o caso de Adilson.

Do meio para a frente não vejo ninguém em condições de ser titular absoluto, incontestável. Fábio Rochemback, Escudero, Marquinhos e Douglas. Estou pensando num time capaz de conquistar um campeonato brasileiro. É claro que esses são bons jogadores, mas considerando a relação custo/benefício… É lógico que não é fácil reformular de maneira tão radical. Por isso, é de se prever que um ou outro fique.

Douglas é um jogador de exceção. O futebol que ele jogou contra o Flamengo foi isso, de exceção. É preciso um jogador mais comprometido sempre, não apenas nos jogos com estádio lotado e com motivação extra. Escudero e Marquinhos: qualquer um deles poderia ter saído mais cedo do jogo, e tem sido assim quase sempre. Agora, os dois podem continuar. Mas seriam reservas no meu time ideal. Gosto do FR, mas ele custa muito caro e não está jogando tanto assim.

No ataque não vejo ninguém em condições de ser titular de um clube que, por sua grandeza, não pode nunca ser coadjuvante de qualquer competição. Tem um monte de reservas no Olímpico. Portanto, é preciso contratar dois atacantes de alto nível. Um deles pode ser o Kleber (Dagoberto vai mesmo para o Inter).

Prioridades para 2012: um zagueiro, um segundo volante, dois meias e dois atacantes.

Agora, antes de sair por aí contratando jogadores médios é melhor apostar e investir na base. Mas investir mesmo, dando oportunidades reais aos jovens.

As contratações precisam ser pontuais, com a precisão de um cirurgião, de preferência olhando unicamente os interesses do clube, não de empresários e outros.

INTER

Enquanto isso, o Inter segue em sua luta por vaga na Libertadores. Acho que vai conseguir. O Flamengo está descendo a ladeira, não tem preparo físico. Tem alguns jogadores de muita qualidade, mas eles cansam no segundo tempo.

O Botafogo, não levo fé também. O Caio está conseguindo fazer milagres. Já o Corinthians, o Vasco e o Fluminense são de outro nível.

Ainda vejo o São Paulo com boas possibilidades. O Figueirense está ali na briga, mas penso que não tem fôlego para continuar nesse corrida.

O Inter, se vencer o Fluminense de Abel, Edinho e Rafael Sobis, vai ganhar mais moral e aí pode até tentar o título.

O problema é que o Fluminense é melhor e deve vencer.

Se gostou, compartilhe!