Gre-Nal pra ver quem faz pior

Está em disputa um Gre-Nal inédito no futebol gaúcho: qual a pior direção?

Os dirigentes da dupla parece que se esforçam para cometer desatinos. Uma direção tenta superar a outra.

O Inter, apesar de tudo, já garantiu um título no ano. O Grêmio vai terminar sapateiro. Poderíamos instituir o “Título Zero” para outorgar ao tricolor.

Os dois clubes nunca tiveram tanta coisa em comum.

Vejamos os dois presidentes:

Odone teve de aceitar um treinador que não queria.

Luigi teve de aceitar um treinador que não queria.

Na primeira oportunidade, se livraram de Renato e de Falcão.

O problema é que não era o melhor momento.

Renato ainda estava com moral diante da torcida, que esperava para ver o que ele faria tendo Gilberto Silva, Miralles e André Lima à disposição. Por isso, sua saída causou comoção e revolta.

Falcão, que assumiu com a promessa de que receberia reforços, foi demitido quando já havia superado um momento crítico e contava com o apoio de maior parte da torcida, e ainda por cima após um jogo em que não teve dois ou três titulares importantes. A torcida colorada considerou sua demissão injusta. Por isso, a revolta, a comoção colorada.

O Grêmio acenou com Cuca. O Inter acena com Cuca. Índice de rejeição absurdo nos dois casos.

O que fez o Grêmio? contratou um técnico com índice de rejeição zero, um profissional correto e que há muito esperava uma grande chance. Comovida, a torcida gremista aceitou, até porque as alternativas escorregadas pela direção para a mídia eram assustadoras. Tática do bode na sala.

O Inter imita o Grêmio. Mais uma vez, diga-se. Colocou o bode, digo, o Cuca na sala. Agora, está liberada para trazer quem quiser, menos o Roth, claro.

Então, não duvido que também aposte num treinador ainda sem máculas, mas também ainda não devidamente testado, como Julinho Camargo.

Diante do que está sendo colocado pelos cartolas dos dois clubes, prevejo um segundo semestre pleno de profundas – e amargas – emoções para gremistas e colorados.

Vamos ver quem vence esse triste Gre-Nal marcado pelo despreparo, arrogância e total ausência de planejamento. 

SAIDEIRA

Novo vice de futebol colorado assume dizendo que Inter pode disputar a Copa Audi ainda sem um técnico titular.

Novo diretor remunerado do Grêmio diz que se ele fosse dirigente do Fluminense também não liberaria Marquinho, por que o considera muito bom jogador.

E assim vai a dupla…

Se gostou, compartilhe!