O polêmico dirigente remunerado e a 1983 na série 'Gre-Nal é Gre-Nal'

O Grêmio empilha gente para trabalhar no futebol. Agora, além de Antônio Vicente Martins e seus dois diretores, mais Alexandre Faria, que será o único remunerado.

Em sua última gestão, o presidente Paulo Odone contratou para essa função o Mário Sérgio…

Alexandre vem de dois trabalhos, digamos, polêmicos. No Atlético Mineiro e no Fluminense. Em ambos os resultados não foram dos melhores. Só por esse aspecto fica difícil entender a sua contratação.

Ele assumiu no Atlético no ano do centenário do clube, em 2008, dia 20 de maio. Foi apresentado junto do técnico Gallo, o que podemos considerar que atenua sua responsabilidade pelo fracasso que se seguiria. A não ser que ele tenha indicado o técnico, o que, neste caso, aumenta sua responsabilidade.

Curiosidade: trabalhava no Atlético como auxiliar o Marcelo Oliveira, hoje vice-campeão da Copa do Brasil pelo Coritiba, e que estará no Olímpico neste domingo.

Recordar é viver: Marcelo Oliveira é o nome que sugeri no meu twitter para o lugar de Renato Portaluppi.

Cinco meses depois, no dia 20 de outubro, a imprensa mineira anunciou:

“O Atlético-MG demitiu nesta segunda-feira o diretor de futebol Alexandre Faria e o gerente das categorias de base Felipe Ximenes. A decisão foi tomada por Afonso Paulino, ex-presidente do clube, que, apesar de ser conselheiro, está assumindo poderes no departamento de futebol. Paulino alegou que Alexandre Faria também atua como empresário de jogadores e que, portanto, não teria a idoneidade necessária para comandar o futebol alvinegro”.

– Não estamos falando em momento algum que ele tenha cometido, com a venda ou compra de jogadores, alguma irregularidade. O que nós entendemos é que um agente de futebol não pode ser diretor de futebol – disse Afonso Paulino, que criticou também o trabalho na base, o que resultou na demissão de Felipe Ximenes, o mesmo que o Grêmio tentou contratar.

Em entrevista à Rádio Itatiaia, reproduzida pela Gazeta Press, Alexandre Faria rebateu:

– Obviamente que uma pessoa ser agente de jogador e diretor de futebol é algo absolutamente inconcebível. Então, é mais uma acusação falsa que ele faz, que ele vai ter que provar que eu sou agente, pois eu não sou.

É preciso destacar que o Atlético Mineiro vivia um momento complicado, em campo e fora dele. Estava sem presidente. E havia uma eleição marcada para pouco mais de uma semana.

No Fluminense, o trabalho de Alexandre Faria também deixou a desejar. O time escapou por pouco do rebaixamento. Ele foi contratado em dezembro de 2008, antes de Parreira. O time começou muito mal no Brasileiro. Parreira caiu e entrou … Renato Portaluppi, que não conseguiu reerguer o time na competição. Alexandre caiu dia 2 de agosto de 2009. Renato  um mês depois, com o Fluminense na lanterna.

Nos quase oito meses de Alexandre Faria como coordenador de futebol, o Fluminense conquistou 15 vitórias, 12 empates e teve 15 derrotas.

Ao deixar o clube, Alexandre deixou uma carta aos torcedores. Destaco uma frase:

–  Na vida, trabalhamos para obter resultados. No futebol, precisamos de resultados imediatos para poder trabalhar.

COLETIVA

Na coletiva de hoje no Olímpico, em sua apresentação à imprensa, Alexandre Faria tratou de não revolver o passado. Ao ser perguntado sobre as acusações de ‘picaretagem’ no Atlético Mineiro, ele deu uma volta, e ficou por isso mesmo. Eu esperava que ele refutasse com veemência. Mas ele preferiu um discurso mais ameno, algo como ‘dizer não dizendo’.

Então, estamos assim: uma aposta num treinador inexperiente em time profissional de ponta e uma aposta num diretor remunerado com um currículo recente ruim, sem os tais “resultados imediatos” tão necessários para seguir trabalhando.

Será que ele pensa que aqui não precisará de resultados imediatos? Aqui, os resultados são pra ontem.

PREVISÃO

Ouvi um comentarista esportivo dos mais conceituados afirmar que o jogo contra o Coritiba é fácil, coisa para fazer 5 a 0. Só pode ser para colocar pilhar no adversário.

O Coritiba por detalhes não foi campeão da Copa do Brasil. Ficou 20 e tantos jogos invicto. Tem um time entrosado, muito diferente do Grêmio, onde a maior parte dos jogadores está se conhecendo agora, na metade da temporada. Prevejo jogo muito difícil. Na verdade, se o Grêmio conseguir um empate estará de bom tamanho, apesar da necessidade urgente de recomeçar a vencer.

SERIADO NA RBS

É neste sábado, depois do Jornal do Almoço, a estreia da série Gre-Nal é Gre-Nal. A cerveja 1983 estará nas mesas do bar onde se desenrola o primeiro episódio. A gravação foi no Konka. O botecodoilgo tava fechado na hora, ehehe.

Se gostou, compartilhe!