Derrota na estreia é um alerta

Foi uma das piores atuações do Grêmio nesta temporada. Talvez a pior. Foi um dia ‘não’, mas que pode se repetir se não forem tomadas providências urgentemente. 

O dia ruim aconteceu parte por falta de qualidade em algumas posições, parte por mérito do técnico Tite, que tratou de cuidar da movimentação de Douglas e F. Rochemback.

Praticamente todas as jogadas passam por eles, que erraram mais passes do que de costume. FR esteve irreconhecível nesse quesito, que é o seu ponto mais forte.

Com isso, as jogadas de ataque ficam prejudicadas. Ao mesmo tempo, o adversário se aproveita e arma contra-ataques.

Adilson errou menos passes do que eles, podem conferir.

Hoje, penso que qualquer atacante de área teria dificuldade pra jogar no ataque gremista.

As bolas ‘paradas’ cairam todas nas cabeças corintianas. Cruzamentos de linha fundo foram raros e ruins, com exceção de um ou dois lances.

Acho que Renato exagera quando fala em falta de jogadores experientes, cascudos. Talvez ele repita isso para não tocar no essencial e assim atingir o grupo: falta mesmo é qualidade.

O Grêmio tem problemas na zaga e no ataque. Hoje, teve problema também no meio de campo. Resultado: vitória do Corinthians por 2 a 1. Se o Corinthians tivesse um time melhor, teria vencido mais facilmente.

Na semana retrasada, no programa do Reche na Ulbra TV, onde talvez eu vá amanhã de novo, eu declarei que com o time atual, vejam bem, time atual, o Grêmio lutaria para não ser rebaixado.

A atuação deste domingo de sol confirma que essa é uma tendência.

Quando o Grêmio perdeu Jonas e deu sinais de que não contrataria um substituto eu escrevi aqui que o time não iria longe na Libertadores.

A lesão de André Lima piorou ainda mais a situação.

Restou Borges. O Borges que deixou o time na mão contra o Universidad em pleno Olímpico; o Borges que chutou um pênalti decisivo contra o Inter cinco metros acima da trave.

Este Borges foi reclamado hoje por parte da torcida e da crônica esportiva.

Borges tem futebol para ser titular DESTE time do Grêmio? Claro que tem. Mas o Grêmio que eu quero é um capaz de brigar pelo título de campeão, e não há lugar para Borges de titular nesse time.

E Borges na reserva é um fator de complicação, como já mostrou no São Paulo, quando reclamava da titularidade de Washinton e quando entrava não fazia nada para justificar um lugar no time.

Por mim, Borges até ficaria para a reserva, apesar dos dois episódios acima. Seria o reserva imediato de um atacante goleador que talvez possa ser o Miralles. Mas Borges não aceitaria isso por muito tempo.

Acho que Borges pensa ser o Romário.

A melhor dupla de ataque do Grêmio desde o ano passado foi Jonas e André Lima, que entrou aproveitando lesão providencial e salvadora de Borges. A partir dali, o time subiu na tabela, saiu da zona de rebaixamento e conquistou vaga na Libertadores, o que acabou resultando em nada, como se viu, pela inoperância da direção.

Cabe a esta direção, que ainda não se justificou, arrumar a casa. Um grande zagueiro (pelo menos um), um lateral-esquerdo, um meia e dois atacantes titulares já terão grande valia.

Se ela dedicar ao time a mesma atenção destinada a fazer oba-oba em cima da Arena, o Grêmio vai melhorar, e muito.

SAIDEIRA

Acho que fui mal no Cartola. Meu time é o Todo Poderoso Alfredo (que é o nome do meu cardeal, o pássaro).

Talvez seja como o Grêmio, segundo Renato, falta mais experiência.

Se gostou, compartilhe!