Grêmio vence contra tudo e contra todos

Foi uma grande vitória. O técnico Renato, logo que terminou o jogo no Pacaembu, emocionado com o 1 a 0 garantido na raça e na bravura, desabafou que havia sido um desempenho de time que “quer chegar na Libertadores”.

É um exagero aceitável, porque o Grêmio havia acabado de obter sua primeira vitória fora de casa depois de um ano.

Mas o mais importante é que havia batido uma equipe muito forte, com alguns grandes jogadores, como o estupendo volante Jucilei. Melhor que ele no jogo só mesmo Adilson, mais uma vez insuperável. Uma muralha.

Agora, o que mais valoriza a vitória sobre o poderoso clube do presidente do País do Nunca Antes é que o Grêmio precisou ser superior também ao juiz.

Que a CBF não seja injusta com o alagoano Francisco Carlos do Nascimento. Ele, afinal de contas, fez o possível e até um pouco mais para ajudar o Corinthians, que além de um estádio novo quer também o título brasileiro no ano de seu centenário. Tem, ainda, um presidente parceirão do Ricardo Teixeira (chefiou a delegação do Brasil na Copa). E, vocês sabem, amigos merecem toda a atenção.

O juiz merece ser promovido, receber jogos internacionais para apitar, entrar no quadro da Fifa. Ele é esforçado.

Logo que começou o jogo percebi que ele estava ali para fazer o serviço. Minou o time do Grêmio com cartões amarelos, quase todos injustos, e foi benevolente com as faltas corintianas.

O cartão amarelo que ele deu para o Wilson, por exemplo, foi absolutamente injusto, sem contar o de Ferdinando logo no começo.

Mas é bom amarelar jogadores de marcação, não é mesmo?

Depois, percebendo que era preciso dar mais de si, o juiz marcou um pênalti, que se fosse para o lado oposto ele por certo ignoraria. E ainda expulsou o Wilson, segundo amarelo, porque já havia recebido um, aquele injusto. Viram como foi útil aquele amarelo?

O Grêmio resistiu heroicamente 30 minutos. Mais, porque, é óbvio, o juiz deu mais cinco de acréscimo.

Então, homens da CBF, continuem apostando no Francisco Carlos do Nascimento. Ele merece.

SAIDEIRA

Douglas, único jogador do Grêmio que eu tinha no meu time do Cartola, marcou um golaço. Pena que o saquei do time antes da partida. Coloquei quem do Grêmio, então? Sim, o Wilson. Me quebrei. Mas não importa. O que vale mesmo é essa vitória extraordinária do Grêmio. Um resultado que o reabilita na competição e que faz o Renato sonhar com a Libertadores.

Na minha opinião, o Grêmio não tem time para entrar no G-4.

E não podemos ignorar que o Grêmio teve, além de valentia, muita sorte para vencer o bom time do Corinthians e também o aplicado juiz.

FECHANDO A CONTA

Foi uma lavagem, como a gente dizia em Lajeado quando o meu batia o time da colônia por goleada. A Oposição deu um vareio. Elegeu todos os 150 conselheiros. Foi a resposta da torcida à gestão de Duda Kroeff.

Só não sei se isso (a falta de diversidade) é bom para o clube.

Se gostou, compartilhe!