Alcindo e a conta de Roger

Faltou Alcindo. O ‘bugre’ teria mandado pelo menos umas duas bolas na rede do Atlético Mineiro, neste domingo.

Mas o Grêmio não tem nada parecido com Alcindo, centroavante da minha seleção gremista de todos os tempos.

(Escrevi um pouco sobre ele no comentário anterior.)

Faz tempo que o Grêmio não tem um matador. São incontáveis os jogos em que o Grêmio criou muito, amassou o adversário, e ainda assim não venceu.

Foi assim nesse empate por 1 a 1 com o time mineiro, cantado em prosa e verso por alguns analistas da praça como favorito ao título.

Pois o Grêmio foi muito superior ao Atlético. Não venceu por essas coisas do futebol.

Foi um crime esse empate. Mas como todos os crimes, sempre há pelo menos um culpado.

Saí da Arena, ainda atordoado com o gol de Robinho quase no final, convencido de que parte da responsabilidade cabe ao técnico Roger Machado.

Havia quase um consenso entre os gremistas que foram à Arena neste domingo que amanheceu triste com a notícia da morte de Alcindo.

Ouvi um gremista declarando para um repórter de rádio:

– Esse empate vai pra conta do Roger.

Concordo em parte. Durante o segundo tempo era visível o cansaço de Douglas. Roger demorou a tirar seu maestro, e até com boa razão. Afinal, o Grêmio com Douglas, mesmo cansado, dominava amplamente o adversário. Uma mexida talvez desarticulasse o time, permitindo uma reação do Atlético. É possível que Roger tivesse ponderado nesse sentido.

Não é fato que em time que está ganhando não se mexe? Mas no caso faltou colocar alguém mais agressivo para furar o bloqueio atleticano e concretizar em gol o amplo domínio.

O próprio gol de Luan foi quase um acidente. O Grêmio dominou, mas não teve acabamento nas conclusões na maioria das vezes. Faltou, inclusive, a já famosa ‘metidinha’ do maestro.

Então, era o caso de colocar um atacante para fazer a beira do campo, passando Luan para a função de Douglas.

Bolanos, que atuou pelas beiradas, às vezes parece que joga com a cabeça no Equador. Ainda está devendo.

Então, na conta de Roger, vai não o empate em si, porque seria uma conta muito pesada, mas o fato de não ter tornado o time mais agressivo e incisivo, com mais verticalidade e menos toques para o lado.

O Grêmio deveria ter ‘matado’ o jogo para não deixar o Atlético com seus atacantes experientes e frios especulando uma chance. O Atlético jogava claramente por uma bola. E teve essa bola.

Na conta de Roger, por uma questão de justiça, é preciso contabilizar que foi ele quem armou o esquema de envolveu completamente um dos favoritos ao título brasileiro. Méritos do técnico.

Seu erro, portanto, foi demorar para sacar Douglas (isso é quase unanimidade). A entrada de Ramiro eu até entendo – não concordo, mas entendo – seria para reforçar a marcação e não permitir o que acabou acontecendo, o gol desconcertante do Atlético.

O gol que subtraiu do Grêmio dois pontos que pareciam tão certos.

A conclusão é que Roger, que está com muito crédito, está acertando no atacando, e errando no varejo.

Mas erros que custam caro e tiram o sono de qualquer gremista.

Erros que passariam despercebidos se em seu ataque o Grêmio tivesse alguém do porte de um Alcindo Martha de Freitas, o maior artilheiro da história Tricolor.

SEGUNDONA

Os sinais são claros. O Inter está recebendo sinais de que ‘Jesus está chamando’. É pênalti perdido no último minuto; é gol sofrido quase no final e impedindo a vitória que se consolidava, como foi no empate por 1 a 1  com o Sport. E por aí vai.

Parece que tudo conspira contra. 

No caso deste domingo, só a arbitragem parecia favorável. Houve três pênaltis, todos discutíveis. Mas o juiz só marcou o favorável ao Inter.

Os outros dois, a favor do Sport, ele ignorou.  Por isso que o técnico Oswaldo de Oliveira foi expulso. Não aguentou.

Com o empate, o Inter dorme na zona de rebaixamento.

Se gostou, compartilhe!

  • Dilamar Costenaro

    Gente ninguém erra tantos gols assim, isso é falta de treinamento, roger se preocupa com cobrança de lateral ensaiada, com tanta besteira e esquece que futebol é bola na rede e infelizmente jogou o campeonato no lixo por não treinar o essencial, por isso erram tantos gols, os caras chegam na cara do gol e não sabem o que fazer pq não treinam, simples assim.

    • Fabio Scheffer

      Eu não entendo o pq não investe mais no H.Almeida.
      O cara é definidor de oficio e alimentado por Luan e Miller poderia ser esse cara que mesmo sem tanta qualidade pra jogar, mete a bola pra dentro !!!
      O amor pelo Douglas, que tem tido bons jogos mas não aguenta um quarta/domingo é demais.

  • Fabio Scheffer

    Ontem foi o tipico jogo que os pontos perdidos ofuscaram a atuação e tem sim que serem colocados na conta do treinador Roger.

    Em casa e jogando bem não tinha o porque de colocar o bruxinho Ramiro no lugar de um cansado Douglas tendo 3 volantes voando atrás dele.

    Tira o Douglas e coloca o Henrique Almeida na frente, recuando o Luan ou o Miller, e mata logo o jogo porra !!!

    Não quero, mas tenho que começar a concordar com quem acha que o Roger não está pronto, é muito erro no detalhe que vai acabar nos custando a chance de brigar pelo Brasileiro e me faz temer pela CdB.

  • Querubini

    Torço muito para que o Ramiro tenha uma lesão. Assim quem sabe ele não joga e aumentam as chances de sermos campeões.

  • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

    Prezado Ilgo Wink !!!!!

    Continuo achando desde maio/2016 que o Grêmio não é candidato ao título do brasileirão este ano e as razões permanecem as mesmas, é só conferir o que eu venho postando por aqui. ”Talvez” a Copa do Brasil.

    O que falta ao Grêmio é um forte treinamento e aperfeiçoamento no quesito ”finalização”, pois é muito fácil vir aqui comentar o resultado de empate ou derrota ”nos detalhes” e esquecer o desempenho do time desde maio/2015.

    ”SE”, ”SE”, ”SE”, é o que mais nós lemos por aqui nos comentários e isso faz todos ou a grande maioria esquecer que mesmo com todas estas inúmeras e frequentes deficiências que todos são tão bons em enumerar por aqui, temos o 4º melhor ataque e a 5ª melhor defesa entre os 20 participantes, e com um jogo à menos, estamos entre os 6 primeiros da tabela.

    ”SE”, ”SE”, ”SE”, de cada 5 ou 6 oportunidades de gol que criamos o time faz 2 ou 3 gols, NADA disso estaria sendo escrito por aqui sobre o time, o treinador, o Douglas, Bolaños, etc & etc, pois teríamos vencido mais de 4 ou 5 partidas das últimas que empatamos e perdemos, aí, estaríamos com 5 pontos à frente do Palmeiras e todo mundo aqui batendo palmas pro time, treinador, Douglas, Bolaños, etc & etc.

    Como é fácil chorar o leite derramado, mas o pote que o conduzia estava sem alças, então, vamos soldar as alças no pote de leite, Roger Machado, aí, o condutor do pote não derrama mais o produto.

    O Grêmio mesmo com este elenco limitado precisa treinar muito, mas muito mesmo, FINALIZAÇÕES, aí, o time acaba com todos os ”SE’s” que eu leio por aqui todos os dias após os nossos empates e derrotas, pois quando o time vence, diminui drasticamente os ”SE’s”.

    Já fui taxado aqui por alguns de otimista em excesso, mas olha o que era o nosso time até maio/2015, sem identidade tática nenhuma, jogando com 2 ou 3 brucutus de volante, sempre por uma bola parada e geralmente ”alçada” para um cabeceio de aipim dentro da área.

    Gosto muito do Cuca, Marcelo Oliveira e o Tite, mas por 2 anos, eles não vem, por isso, FICA Roger Machado, por favor.

    PENSEM NISSO !!!!!

    • Daniel Scherer

      Copião, a reclamação deste jogo é exatamente porque o Roger colocou um brucutu (tá bom, brucutuzinho) Ramiro em campo e deu no que deu. Então Roger Machado teve um momento infeliz neste jogo.
      Mas se tu mesmo coloca que falta treinamento de finalização, de quem é a responsabilidade??? E mais, isso não é de agora, faz tempo, assim como a bola cruzada na área.
      Eu também não vejo como trocar o treinador agora, mas Roger me parece estar acima do bem e do mal, e não está, aliás falta muito para estar. Tem que ser cobrado pelas cagadas assim como é elogiado pelos acertos.O que acho é que falta alguém cobrar isso dele, ebtão ficamos sempre olhando os problemas se repetirem, se repetirem e o campeonato mais uma vez vai ficando no SE.

  • Pedro de Lara

    Ainda acho que o maior problema do Gremio é aquele tom de azul da camisa, o Cyan 100%. Pra quem não sabe o Cyan, junto ao Amarelo, ao Magenta e o Preto são as cores básicas que nas artes gráficas, em graduações reticulares, formam todas as outras cores.
    Há uma visível falta de identidade desde que esse azul, forte, foi adotado, criando limitações inclusive no lançamento de uma terceira camisa que sempre foi bem recebida pelos torcedores e que, vá lá, nos dá sorte, a celeste.
    Espero que se tome uma providencia urgente no sentido de resgatar o tom correto do azul ou corremos o risco de não ganharmos nada esse ano também.
    No mais, que azarão no domingo, ein??
    Eu, no lugar do Roger, tambem meteria mais um volante para assegurar o resultado. Não dá pra esquecer que qualquer outra alternativa, se usada e dado errado também, haveria crucificação do treinador lá pelos lados do Humaitá. Fica fácil dizer a solução depois que acaba o jogo.
    Não é que vocês não conhecem naaada de futebol, é que vocês se manifestam sobre o acontecido, longe do calor do momento, da pressão e da responsabilidade.
    Assim até o Roger.

    • Detective

      Credo!

      • Fernando

        Méritos para o Roger que fez o que Luxemburgo, Enderson Bobeira, Portallupi e outros técnicos anteriores não conseguiam: tornar um Grêmio um dos times brasileiros com toque de bola mais envolvente do futebol atual.

        Porém só vou considerar o Roger um técnico acima da média quanto ele sanar de vez o problema da bola aérea, tomar um antídoto contra o famigerado “Sinpof” e aprender a substituir certo.

        • Detective

          É por aí mesmo, amigo.

    • Arthur J

      Nem o Burroth escala 4 volantes (em casa, ainda por cima).

      O Roger tem méritos de fazer o Grêmio jogar um bom futebol, mas passar a mão na cabeça também não dá.

      O estádio inteiro sentiu a merda que daria ao entrar o volante-anão.

  • Detective

    Brigada e Força Nacional cercando o Q.G. da bandidagem.

  • Detective

    Prezados Ilgo e amigos:
    Baseado em um post de Pedro de Lara, creio ter encontrado a fórmula para o Grêmio Campeão. Segue:
    Ainda bem que para os treinadores campeões brasileiros de 1971 até agora nunca houve “calor do momento, pressão e responsabilidade”. Quanto à “cor da camiseta”,entendo que uma remodelagem no campo espectrocolorimétrico das artes gráficas tricolores faria sentido, embora inerentes a algumas exclusões de base filosófica que ostentam algum pluralismo deveras inadequado no que se refere à matiz das jaquetas envergadas pelos athlets durante os matches do sport dos pés, cuja singularidade, outorgada pelos antigos bretões, jamais corromper-se-á pelos revezes e alhures equivocadas suposições morais éticas e filosóficas oriundas de dirigentes e treinadores.