Desafio de Falcão: jogar como o Grêmio

O Inter quer ser o Grêmio. Quer dizer, o torcedor colorado quer seu time jogando como o Grêmio.

Argel caiu porque perdeu demais, além da conta, e também porque não conseguiu fazer seu time jogar como o Grêmio. 

Enquanto o time ainda ganhava, Argel era tolerado, aceito com relutância, com resistência pela maioria colorada, inclusive e principalmente os da mídia.

Foi assim no Brasileirão/2015, na conquista do Gauchão e, mais recentemente, nas primeiras rodadas do Brasileirão/2016.

Argel, na realidade, não resistiu à comparação com Roger Machado.

Não foram poucas as vezes em que Argel, nas entrevistas, mostrou um certo despeito por, mesmo vencendo, não ter o reconhecimento da mídia, nem local, e muito menos nacional, onde seu rival, Roger, segue reverenciado.

Inveja que ele mal conseguia conter. 

Argel seria o italiano Salieri, músico competente assim como é competente Argel, mas sem o brilho do alvo de sua inveja, Mozart.

O grande compositor austríaco seria Roger, reconhecido, festejado, admirado.

Mozart é lembrando por sua obra magnífica. Salieri, coitado, por sua inveja de Mozart, embora, dizem os entendidos, tenha feito boas composições.

Salieri, no futebol, seria a cotovelada, o chutão pra frente, a entrevista confusa. Mozart, a elegância e o futebol com toque de bola, a entrevista com frases bem formuladas e didáticas, encantando a todos. Inclusive muitos colorados.

Não é por outra coisa que o Inter foi buscar Falcão, um técnico de linguagem educada, postura elegante e adepto de um futebol bola no chão, ao estilo do praticado pelo Grêmio de Roger.

O desafio de Falcão é, primeiro, retomar o caminho das vitórias e afastar o fantasma da segundona, que anda atormentando os cronistas esportivos vermelhos, seguidamente mandando sinais de alerta para o Beira-Rio;

e, segundo, fazer isso jogando como o Grêmio.

Se Roger é Mozart; Falcão terá de ser nada mais nada menos do que um Beethoven.

Só assim ele poderá fazer seu time jogar da forma como joga – e encanta – o Grêmio.

 

Se gostou, compartilhe!

  • Ricardo de Cruzeiro

    Seria interessante que o nosso Beethoven gaudério apresentasse a 2* Sinfonia,a famosa Segundona,que por sinal é em ré maior.

    • Daniel Scherer

      Boa Ricardo…. kkkkk

      • Juninho Street

        Cuidado com o art:14

        • currachitas

          Cuidado com a segundona, moranga!

    • Ilgo Wink

      muito bom rsrsrs

  • José da Silva – COPIÃO DE TUDO

    Muito bom comentário, Ilgo. Perfeito.

    A I.V.I está em chamas, estão aloprados e nem sabem mais o que fazer para chamar a atenção do Beira Rio e alerta-los DE TUDO. Que fase.

    O Justo Guerra hoje quase enfartou com WC na comparação dos armadores que existem no Brasil e já passaram pelo inter. Que fase.

    Estão se superando dia após dia com muitas barrigadas na Ypiranga e cada vez parece que piram mais ainda, é de dar pena. Que fase.

    Estão promovendo um volante, um tal de Charles, alto, magro, esguio igual era o Falcão, mas que já estava lá, porém, buscaram Fernando Bob, Fabinho, Anselmo e dispensaram o Bertotto que era grande promessa de 2015. Que fase.

    O Leonardo Oliveira chegou ao cúmulo de comparar os times, um pelo outro hoje, coitado, não viu a classificação na tabela, foi hilário. Que fase.

    Vamos rindo, é o que nos resta pelo que nos apresentam. Que fase.

    • Marcio Luiz

      Enquanto eles se preocuparem com o nosso futebol, maiores serão as chances de serem rebaixados (apesar de achar q esse ano cai santa, américa, figueira e mais um q pode ser coxa ou bota).