Luxa, porque as pessoas podem mudar

Agora é oficial: o site do Grêmio acabou de publicar que Vanderlei Luxemburgo está contratado.

Vou torcer por ele, porque o seu sucesso será o sucesso do Grêmio.

Assim como torci por Julinho Camargo, Celso Roth e Caio Jr, sem acreditar que fossem dar certo, agora vou torcer por Luxemburgo.

Meu primeiro pensamento foi de que ele irá fracassar, como tem fracassado já alguns anos, mas começo a acreditar que Luxemburgo pode dar certo neste último ano do Olímpico, neste ano da Arena, conforme o site do clube não nos deixa esquecer um instante sequer.

Se os opostos se atraem, os iguais se completam.

Luxemburgo, com toda a sua trajetória controvertida, marcada por inúmeros títulos e e incontáveis situações nebulosas que evito enumerar até por não conhecer todas, tem tudo para se sentir em casa.

Formará com a direção do Grêmio um conjunto encorpado e harmônico, não tenho dúvida. Essa afinidade, essa sintonia, é o primeiro passo para uma caminhada firme e exitosa. Vejo o Grêmio, agora, como um bloco homogêneo, o que não percebia com outros treinadores.

Só falta a torcida engajar-se e acreditar que Vanderlei Luxemburgo pode voltar a ser o técnico vitorioso de outros tempos e, principalmente, a poucos meses de tornar-se um sessentão, mostrar que pode ser também um cidadão acima de qualquer suspeita, sepultando um passado recheado de histórias grotestas, com algumas passagens dignas de figurar numa folha corrida.

Sinceramente, eu acredito que as pessoas podem mudar, assim como não vejo como separar o cidadão, o profissional, do seu caráter. Acho engraçado quando algumas pessoas dizem: “Luxemburgo tem um caráter complicado, mas é bom treinador”. Quando se contrata um profissional, vem junto o cidadão, com todas as suas qualidades e seus defeitos.

Há poucos dias, Luxemburgo bateu de frente com o representante mais famoso da família Assis Moreira. Ele perdeu o emprego no Flamengo – de onde é fácil sair para treinar a Seleção -, mas resguardou sua dignidade profissional.

Luxemburgo dificilmente um dia irá recuperar o meu respeito – não que isso lhe faça falta -, mas já conta com a minha esperança em sua volta por cima como treinador e como pessoa, e com a minha torcida.

Uma coisa é não gostar da contratação, outra é deixar de torcer pelo Grêmio por causa do Luxemburgo.

Se gostou, compartilhe!