A corneta da minha rua

Se o Grêmio afundou em São Januário e fez a alegria dos colorados; o Inter repôs um sorriso (um tanto constrangido, é verdade) no rosto dos gremistas ao, mais uma vez, não se impor dentro de sua própria casa.

Tem uma corneta na minha rua. Ela estava silenciosa desde ontem. Permaneceu assim todo o primeiro tempo do jogo no Beira-Rio, mas logo no início do segundo tempo a corneta renasceu. Um barulho ensurdecedor – o seu dono mora ao lado da minha casa – para comemorar o gol de empate, marcado pelo ótimo zagueiro Émerson, que marca bem e seguidamente está fazendo seus gols.

O Inter teve bola na trave e pênalti perdido, chutado por Kléber. Alguém consegue explicar por que Damião não é escalado para bater pênaltis?

O time do Dorival Jr perdeu grande chance de entrar no G-5, mas desconfio que cedo ou tarde isso irá acontecer. Sobre o título nacional, não tenho dúvida de que o clube segue na fila.

E lá se vão 32 anos…

Se gostou, compartilhe!