O show da Amy e o desespero dos secadores

Faço um esforço violento e tento pensar pela cabeça de Ronaldinho Gaúcho. Chego a ouvir um pagode, me sinto agarrado a uma baranga e meu cérebro é tomado por um mantra: quero jogar com alegria, ser feliz.

Estou em ritmo de férias. Poderia dedicar parte do tempo a treinar um pouco, correr ao redor de um campo, fazer alguns exercícios físicos, porque, afinal de contas, quero mudar de vida, voltar a ser um atleta compenetrado, determinado a jogar futebol novamente.

Entre minhas resoluções para 2011 está mostrar que posso ser de novo aquele Ronaldinho que conquistou o mundo jogando bola com ‘alegria’.

Mas tudo isso pode esperar.

Quero me despedir desse mundo boemio com um fim de semana daqueles supimpas, de estourar a boca do balão, de arromba (aí já é o lado Ilgo se expressando).

Se eu assinasse contrato com o Grêmio ou outro clube qualquer na sexta-feira, o que seria do meu fim de semana? O que eu faria com o camarote que comprei para assistir ao show da Amy Winehouse com as barangas e os ‘amigos’ que estão à minha volta como moscas no açúcar.

Tenho direito a esses últimos dias de absoluta liberdade e descompromisso.

Se eu assinasse com o Grêmio, por exemplo, teria de começar a treinar já neste sábado, talvez no domingo. Acabaria a moleza.

Minha volta aos velhos tempos pode esperar mais um pouco.

Então, vamos deixar tudo para segunda-feira, de preferência para o final da tarde, início da noite, porque precisarei de tempo pra me recuperar das noitadas, e ainda quero pegar uma praia em Jurerê, levar o pagode pra areia onde os ricos se refestelam.

Será uma espécie de despedida de solteiro.

Se bem que depois, como a maioria dos casados, poderei dar umas escapadinhas.

Afinal, ninguém é de ferro.

SAIDEIRA

Mais um boato: o Grêmio anunciaria RG no Jornal Nacional deste sábado. Acredite quem quiser.
Larguei.

FECHANDO A CONTA

Quando leio e ouço determinadas coisas a respeito dessa novela mais eu torço
para que o Grêmio consiga mesmo fechar com Ronaldinho.

Vai doer nesse pessoal como a conquista de uma Libertadores ou de um Mundial de clubes.

Depois, vai aumentar a secação.

Pode ser que o Grêmio não feche com RG, mas só o fato de ter tentado com tanto afinco já
merece ser exaltado.

Sinal de que a nova direção pensa grande. Sem limites. Pode até pagar um mico, como repetem os secadores de dentro e de fora do clube.

Mas ainda assim terá valido a pena.

Se gostou, compartilhe!